Microsoft lança plataforma de identidade em Bitcoin que pode aposentar as senhas

A escolha da rede Bitcoin se deu pela segurança - a blockchain da primeira criptomoeda não permite a troca de registros e o custo para atacar a rede é extremamente alto.

Siga no
Imagem: Adobe Stock
Imagem: Adobe Stock

A Microsoft lançou uma solução de identificação descentralizada (DID) chamada ION que funciona na blockchain do Bitcoin e pode aposentar as senhas de uma vez por todas.

ION é uma tecnologia descentralizada que pode verificar a identidade de uma pessoa ou qualquer entidade sem depender de terceiros – validadores ou entidades centralizadas.

De acordo com uma postagem no Blog oficial da empresa, a plataforma demorou 4 anos para ser desenvolvida. A rede estava em beta público fechado até o ano passado e agora está totalmente aberta.

Ela permite recursos de segurança, login e verificação de usuários, bem como garantir troca de dados entre plataformas.

Nesse caso, o próprio usuário gerencia seu identificador e pode excluí-lo a qualquer momento. “Implementamos um nó ION em nossa infraestrutura e estamos trabalhando com outras organizações para fazer o mesmo. O ION não depende de estruturas centralizadas, validadores confiáveis ​​ou tokens especiais – ele responde apenas à comunidade. É um sistema aberto, então qualquer pessoa pode iniciar seu próprio nó, e quanto mais nós houver, mais forte será a rede”, enfatiza o artigo.

O artigo destaca também que a ION está conectada ao armazenamento de arquivos descentralizado IPFS e não requer mecanismos de consenso adicionais. Além disso, ele é capaz de processar “dezenas de milhares de transações por segundo”.

A escolha da rede Bitcoin se deu pela segurança – a blockchain da primeira criptomoeda não permite a troca de registros e o custo para atacar a rede é extremamente alto.

ION: rede de identidade descentralizada

De acordo com as especificações técnicas, a rede ION permite que os usuários criem identificadores descentralizados (DIDs) de forma aberta, pública, segura e sem necessidade de validador centralizado.

Para explicar o conceito, a equipe de tecnologia explicou que DIDs são identificadores que podem ser usados ​​para proteger o acesso a recursos, assinar e verificar credenciais e facilitar a troca de dados de aplicativos.

Simplificando, uma rede como a ION pode ser a chave para alimentar uma Internet onde os usuários não precisam mais sofrer com senhas, e-mails e telefones celulares para verificar identidade ao acessar qualquer site ou aplicativo.

É por esta razão que a ION “não depende de entidades centralizadas, validadores ​​ou tokens de protocolo especiais.”

“ION não responde a ninguém além de você, a comunidade. Como a ION é um sistema aberto, qualquer pessoa pode executar um nó; na verdade, quanto mais nós estiverem ativos e em execução, mais forte será a rede.”

O comunicado também detalha que a ION usa um protocolo Sidetree de código aberto para ancorar transações DID / DPKI que interagem na rede. O Sidetree foi criado pelos desenvolvedores da Microsoft, ConsenSys, Mattr e Transmute.

Baseado em Bitcoin

A rede ION usa a mesma lógica das camadas de transação do Bitcoin para assinar uma identidade. Uma chave pública e uma chave privada associada são usadas para verificar se um usuário possui uma identificação. Cada transação é codificada com um hash que permite aos nós ION categorizar, armazenar, processar e obter as transações associadas a um DID específico.

Ou seja, se usarmos o ION para verificar a sessão em um e-mail ou rede social, o usuário faz a verificação “assinando” seu DID com sua conta ION. Graças aos links que a ION cria na rede do Bitcoin, a rede verifica o provedor de serviços se o usuário tem a identificação associada corretamente à sua conta.

Dependendo do serviço, quaisquer dados pessoais (nome, idade, etc.) associados a essa identificação são armazenados fora da blockchain. Os IDS ION são anexados a blockchain do Bitcoin usando o protocolo IPFS, e não requer um mecanismo de consenso adicional.

Além disso, os nós ION podem processar até 10.000 solicitações de ID em uma única transação.

Os usuários também podem criar e gerenciar vários IDs com senhas diferentes para serviços diferentes. Da mesma forma, também há a opção de utilizar o serviço de forma recorrente para as plataformas que usam diariamente.

Os usuários poderão, portanto, usar ION para autenticar no Facebook, Instagram, Twitter, Gmail, Netflix ou qualquer serviço Web que implemente a autenticação ION. Uma vez feito isso, os usuários não precisarão mais ter que lembrar milhares de senhas para serviços diferentes.

A Microsoft também desenvolveu uma interface de programação de aplicativo (API) para desenvolvedores que desejam interagir com o serviço sem instalar um nó. Da mesma forma, o ION também possui seu próprio navegador para pesquisar DIDs criados na rede.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Livecoins
Livecoins é um portal de blockchain e criptoeconomia focado em notícias, artigos, análises, dicas e tutoriais.

Criptomoedas mais populares atualmente são de jogos

De acordo com medidores de popularidade de criptomoedas, uma nova tendência parece estar começando dentro do mercado de criptomoedas: a popularização dos ativos ligadas...

Sob pressão regulatória, maior corretora de Bitcoin do mundo decide limitar saques de novos...

A Binance, maior corretora de criptomoedas do mundo, sempre teve uma postura não muito rígida em relação as regras de KYC (identificação de clientes)...
Movimentos de baleias em gráfico do Bitcoin

Baleias compraram 170 mil bitcoins nas últimas cinco semanas

Um recente estudo publicado pela Santiment revelou que as baleias (grandes detentores) compraram 170 mil bitcoins nas últimas cinco semanas, avaliados em cerca de...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias