Mineração de Bitcoin também aquecerá casa com novo equipamento

Casa quente e btc no bolso!

Siga no
Mineração de Bitcoin
Mineração de Bitcoin

Um novo equipamento desenvolvido por uma empresa aquecerá a casa das pessoas enquanto realiza a mineração de Bitcoin. A empresa afirma que está ajudando não só a rede, mas toda a indústria.

A busca por gadgets inteligentes tem sido uma tendência, principalmente em uma era onde a IoT é uma buzzword. A mineração do Bitcoin é realizada com equipamentos específicos para ser rentável, ou seja, há uma oportunidade de unir essas duas pontas.

A inovação, que aquecerá casas da Ucrânia e países da região, tem sido pesquisada por uma empresa. Caso funcione bem, o produto poderá ganhar novos detalhes em breve.

Mineração de Bitcoin aquecerá casas de país que possui clima frio

A empresa Hotmine está vendendo um equipamento curioso para realizar a mineração de Bitcoin. Isso porque o equipamento além de gerar moedas na rede irá aquecer comôdos das casas dos seus compradores.

Chamado de Hotmine CM-1, o equipamento ucraniano chegou ao mercado valendo cerca de R$ 3,600 reais cada, ou U$ 800. Além disso, a empresa que criou o gadget afirma que o mesmo não possui ruídos, ou seja, ideal para se manter dentro de casa.

O equipamento é responsável pela mineração de Bitcoin, que gera um calor imenso no processo. Com isso, essa energia é revertida para um radiador, com capacidade de converter o calor em um aquecimento para cômodos.

O aquecimento, de acordo com a empresa fabricante, pode deixar confortável um ambiente de 10 metros. A fabricante afirmou ainda que o equipamento oferece rentabilidade mesmo em uma baixa de preços do Bitcoin.

Quanto rende por mês um equipamento minerador de BTC com aquecimento?

A empresa afirmou que o equipamento possui uma rentabilidade mensal de 500 Hryvnia ucraniano. Em conversão direta para o real, a quantia daria cerca de R$ 87 por mês.

Além disso, a empresa deixa claro que o valor informado da rentabilidade já seria líquido, ou seja, sem considerar custos com energia. Para a Hotmine, sua tecnologia está amparada pelos novos chips Bitfury Clark, que possuem eficiência energética.

Na página do anúncio da venda, a empresa deixa claro que seu equipamento é silencioso, ao contrário dos outros mineradores de Bitcoin. A explicação seria porque os demais equipamentos lutam para resfriar as máquinas que criam moedas. Entretanto, a Hotmine não busca o resfriamento, mas sim o aquecimento, ou seja, utiliza desta como uma força.

Em um recente relatório, a mineração de Bitcoin foi apontada como sendo eficiente, mesmo com equipamento consumindo grande energia. Assim, a maior parte das moedas criadas tem sido com energia verde, um cenário que coloca o Bitcoin com destaque no setor financeiro.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Dogecoin passa banco Itaú, Santander e Bradesco em valor de mercado

Dogecoin, a criptomoeda feita como uma piada, surpreendeu o mundo após disparar 150% em poucas horas e ser negociada por um valor recorde de...

Pelé terá coleção NFT na plataforma Ethernity

Edison Arantes do Nascimento, conhecido mundialmente como Pelé, é o mais famoso jogador de futebol da história e é um grande ícone para os...

Rothschild investe R$ 26 milhões em Ethereum

A Rothschild Investment adquiriu mais de 265.302 ações da Grayscale Ethereum Trust, marcando seu primeiro investimento em Ethereum, o ativo digital nativo da plataforma...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias