“Moedas digitais de bancos centrais são a maior ameaça do século”, diz Fernando Ulrich

"Os eventos recentes no Canadá são uma singela amostra do que seria possível com esse arranjo monetário totalitário".

Moeda digital do banco central - CBDC - ao lado de moedas blockchain Bitcoin
Moeda digital do banco central - CBDC

Um dos principais projetos dos bancos centrais pelo mundo é o de criação de moedas digitais, as CBDCs. Para um defensor do Bitcoin no Brasil, essas versões de moedas digitais de banco centrais “serão a maior ameaça do século”.

E embora a desconfiança com a tecnologia delas seja um dos principais pontos de desconfiança, o problema pode ser ainda maior que isso, principalmente ao se considerar a liberdade financeira e privacidade individual.

Em uma era digital, as pessoas tem tido essas duas premissas diminuídas cada vez mais e nas finanças o problema tende a aumentar. No Brasil, por exemplo, para quem usa PIX recursos e contas já foram bloqueados em decisões no passado.

Mas no Canadá uma realidade tem chamado atenção do mundo todo envolvendo bloqueios bancários e até de saldo em Bitcoin.

“Maior ameaça do século”

Há sete anos, Fernando Ulrich era colunista no portal Infomoney e publicou um alerta em sua coluna contra as moedas de bancos centrais, as CBDCs. Na ocasião, o Banco Central do Reino Unido estudava as implicações de se criar algo similar ao Bitcoin, moeda que permite transferência de valores pela internet.

Em sua escrita na época, Ulrich já havia declarado que moedas de bancos centrais são centralizadas e impostas a sociedade com o mecanismo de curso forçado. Já o Bitcoin continua sendo uma moeda descentralizada e de uso voluntário desde que foi criada, devendo as pessoas procurarem interagir com essa.

Nesta segunda-feira (21), Fernando voltou a comentar sua visão sobre as moedas digitais de bancos centrais serem a maior ameaça a liberdade do século, visão que não mudou ao longo dos últimos sete anos. Para fundamentar seu receio com essas moedas, ele lembrou os recentes episódios no Canadá.

“Moedas digitais de bancos centrais são a maior ameaça à liberdade e à privacidade individual deste século. Venho dizendo isso há pelo menos sete anos. Os eventos recentes no Canadá são uma singela amostra do que seria possível com esse arranjo monetário totalitário.”

O que está acontecendo no Canadá?

O Canadá está passando por uma situação que reforça os maiores temores de liberdade individual associadas a finanças no mundo. Isso porque, ao conduzir protestos no país, caminhoneiros estão tendo suas contas congeladas pelo governo.

Eles acabaram aderindo nos últimos dias ao Bitcoin, recebendo doações na moeda digital, mostrando que a moeda descentralizada é um refúgio em situações de censura financeira. Muitas pessoas tentaram correr para os bancos para sacar seus recursos e instituições acabaram ficando indisponíveis para saques, demonstrando uma grande fragilidade do sistema monetário tradicional.

Ou seja, a população quer liberdade financeira, mas as moedas digitais de bancos centrais poderão ser a maior ameaça do século. Vale lembrar que o Canadá está explorando criar uma CBDC, o que poderia causar ainda mais censura contra sua população.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias