Atualização do Mozilla Firefox busca inibir mineradores de criptomoedas

Siga no

A Mozilla está a atualizar as suas regras e política de privacidade dos usuários, e uma das metas é justamente inibir a mineração de criptomoedas em seu ambiente.

O Firefox é o segundo navegador Web mais utilizado no mundo todo, e é reconhecido por sua comunidade por ser alinhado com a preocupação da privacidade de seus usuários, apesar de estar perdendo espaço no mercado com o tempo, principalmente em 2018.

Fonte: https://www.tecmundo.com.br/internet/131981-google-chrome-ainda-navegador-usado-mundo.htm

A Fundação Mozilla então lançou recentemente uma versão beta de seu novo navegador, chamado Nightly, de forma que ainda é instável navegar com o mesmo.

As preocupações em relação a privacidade vão também aos rastreadores de terceiros que inundam as telas dos usuários, isso também irá ser diminuído com as novas atualizações.

Serão implementadas ainda três fases das quais destaca-se:

  • Um bloqueio a rastreadores por padrão, a ser implementado no Firefox 63, dependendo de alguns testes sobre o impacto disso no tempo de carregamento de página.
  • Limitação a cookies e bloqueio do acesso ao armazenamento por rastreadores de terceiros, que deve estar disponível no Firefox 65.
  • Bloqueio de técnicas avançadas, como fingerprinting, que permite identificar o usuário silenciosamente, por características do seu dispositivo. Bloqueio de scripts de mineração de criptomoeda. Ambos estarão disponíveis em uma versão futura, ainda não anunciada.

A lembrar que o script de mineração mais conhecido é o CoinHive, do qual minera a criptomoeda Monero que é especializada em transações privadas e anônimas.

O Firefox já havia em agosto anunciado que removeu 23 extensões que poderiam espionar os usuários.

Outra fonte ainda cita que o Google possui 85% de suas receitas vindas de publicidade, e que a medida do Firefox poderia “bloquear” o Google, o que causaria uma guerra no setor, mas ainda não está definido ao certo o rumo que irá tomar.

Outros navegadores web e sua relação com as criptomoedas

O Opera Browser, já em dezembro de 2017, havia anunciado que seu serviço possuía proteção contra mineração de usuários.

O navegador Brave bloqueia os anúncios e para que o usuário assista aos mesmos ele é remunerado em BAT.

Para finalizar, em Abril de 2018 o Chrome retirou de suas lojas as extensões que haviam relação com a mineração de criptomoedas.

E você qual sua opinião sobre mineração com scripts por sites sem aviso prévio?

Saiba o preço da criptomoeda Monero em tempo real aqui.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Gráfico de preço da Cardano em alta

Cardano líder em número de desenvolvedores? Não caia nessa!

Um estudo de atividades no GitHub, principal repositório do código-fonte das criptomoedas, mostrou a Cardano na liderança nos últimos 12 meses. Os dados foram...

DeFi: três setores de grande potencial

De acordo com dados da Messari, o volume trimestral das Corretoras Descentralizadas (DEXs) no final do segundo trimestre de 2021 foi de R$ 2...
Criptomoeda Tether com sinais vermelhos

Michael Burry faz alerta sobre criptomoeda Tether

O lendário trader Michael Burry compartilhou em seu Twitter que a criptomoeda Tether pode estar no meio da confusão da Evergrande na China. Vale notar...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias