MP-BA aciona Unick, Moguro e DK Capital Partners

Três possíveis pirâmides financeiras causaram prejuízos em investidores pelo Brasil, aponta investigação.

-

Siga no
Ministério Público da Bahia (MP-BA)
Reprodução/Metro1
Anúncio

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) instaurou um inquérito e aciona a Unick Forex, Moguro Club e DK Capital Partners por um suposto golpe.

Todas as empresas são citadas como uma possível fraude que lesou investidores pelo Brasil. Ao prometer rendimentos acima do mercado, todas usaram a imagem das criptomoedas.

O mercado de criptomoedas é novo, portanto, golpistas aproveitam da falta de conhecimento para divulgar golpes. No entanto, as empresas citadas no inquérito já podem ter paralisado as suas atividades.

Anúncio

A Unick Forex, por exemplo, foi encerrada pela Polícia Federal e Ministério Público Federal em 2019. Já a Moguro, que foi criada com o fim da Unick, está a meses sem pagar os investidores.

MP-BA aciona empresas suspeitas de golpe com criptomoedas, Unick Forex foi encerrada em 2019

O Ministério Público da Bahia segue na luta contra golpes de pirâmides financeiras. Alguns, que envolvem até as criptomoedas, têm sido alvo de ações pelo órgão.

No final de 2019, por exemplo, a Binary Bit se tornou alvo do Ministério Público da Bahia. Na ocasião, após milhares de investidores serem atraídos para o negócio, que oferecia lucros acima do mercado com criptomoedas, o MP-BA começou a investigar a empresa.

Naquele mesmo ano, em outubro de 2019, o MP-BA também começou a investigar outros negócios suspeitos. São eles: Unick Sociedade de Investimentos, Estação Informática Equipamentos (conhecida por MoGuRo Club) e DK Capital Partners.

Em nota, o MP-BA afirmou que aciona as empresas após investigações apontarem que todas são golpes. Segundo o MP, as empresas prometiam ganhos inalcançáveis com criptomoedas.

O MP-BA encontrou elementos que mostram que todos os negócios teriam um funcionamento similar. Além disso, a Moguro pode ter relações com a DK Capital Partnes, podendo ser parte da captação da empresa.

“No setor de login do sítio eletrônico da MoGuRo Investment observamos, em destaque, o link para cadastro na DK Capital, a terceira ré, denotando-se a relação entre essas empresas que atuam em setores conexos”, informou a promotora de Justiça Joseane Suzart

Empresas devem parar captação de clientes e cumprir contratos com clientes, pede promotora

Na ação proposta pelo MP-BA contra a Unick, Moguro e DK Capital, a promotora deixa clara a situação. Dessa forma, foi pedido para que a justiça faça o bloqueio dos negócios, paralisando a captação de novos investidores.

Além disso, pede que sejam bloqueados valores nas contas bancárias de todas as empresas. Essa seria uma maneira de evitar que o dinheiro dos investidores seja perdido. A promotora ainda pediu que as empresas parem de afirmar que são negócios sérios e de estrutura sólida.

Por fim, a promotora de justiça Joseane Suzart pediu que as empresas cumpram o contrato com os investidores.

“As empresas também precisam cumprir os termos dos contratos lícitos que venham a ofertar aos consumidores após prévia autorização dos órgãos públicos competentes, atendendo às solicitações de estornos e saques, bem como não alterando unilateralmente o seu conteúdo, sem o prévio aval do contratante”, pediu a promotora

Vale o destaque que, a Moguro tentou até fazer uma vaquinha com os clientes, para pagarem os saques atrasados, ou seja, pediu dinheiro para quem deve. Já a Unick Forex, que até teve carros de luxo leiloados recentemente, deverá pagar apenas parte dos investidores, uma vez que a justiça não encontrou o paradeiro do dinheiro até hoje.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Leia mais

Últimas notícias

PF pode usar blockchain para identificar pessoas

Uma ferramenta blockchain que identifica pessoas será apresentada para delegados da PF, que pode começar a usar solução caso interesse. Na tarde desta quarta-feira (21),...

Trader de Bitcoin foi preso após fraudar auxílio emergencial

Um alegado trader de Bitcoin brasileiro foi preso em operação policial após suspeitas de que ele fraudou o auxílio emergencial. O caso aconteceu na...

Coluna do TradingView: BTC rompe os 12k

Segundo teste em 12mil dólares em 65 dias. Confira o que estão pensando os analistas do TradingView ESID Por incrível que pareça, o gráfico mensal do...