Mulher perde R$ 140 mil em esquema de “dobrar criptomoedas”

A mulher só notou que tinha algo errado quando pediu algum documento por escrito, eles lhe enviaram um contrato com uma demanda de US$ 25.000, que indicava que, se ela não pagasse, poderia ser processada judicialmente, ter seus bens congelados ou ser denunciada por lavagem de dinheiro.

Os golpes com criptomoedas ainda são muito comuns em todo o mundo, e muitos deles ainda adotam táticas simples de propagandas enganosas prometendo grandes lucros. Um recente caso na Austrália, mostrado pelo jornal local 9News, mostrou como as propagandas ainda possuem muita eficiência entre usuários comuns na internet.

De acordo com as informações do site, uma moradora de Sidney, Austrália caiu em um golpe após ver propagandas de uma plataforma de investimentos com criptomoedas que prometia altos retornos. Segundo ela, o golpe custou todas as suas economias e dinheiro que juntou durante toda a sua vida.

A artista e designer freelancer disse que se envolveu com o que pensava ser uma empresa de investimento em Bitcoin após ver propagandas sobre a empresa e “ouvir de pessoas” que conseguiram lucrar utilizando o serviço.

A mulher foi informada de que poderia dobrar seus investimentos, com um representante mais tarde afirmando que poderia ganhar até US $ 8.000 em um mês. Mas tudo não passava de um golpe.

Após investimento, mulher não conseguiu mais sacar o dinheiro

O golpe que a mulher caiu é até que bastante antigo na internet e bem comum. A ideia é que uma empresa, se passando por uma forma séria de investimento, promete lucros, mas após o dinheiro ser transferido começa uma campanha de extorsão disfarçada que acaba tirando cada vez mais dinheiro da vítima.

A carta do Commonwealth Bank destacando algumas das transações de Fuda para os golpistas. Fonte: 9News

Depois de transferir US$ 1.000 iniciais, ela foi rapidamente persuadida a adicionar mais e mais dinheiro na conta da empresa, sempre fazendo transferências em vários bancos diferentes.

“[O golpe] Foi feito de forma muito inteligente. Antes que eu percebesse, eles estavam em minhas contas bancárias, eles levaram cada centavo. Quando eles começaram a me encurralar e tirar grandes quantias do meu banco, eu entrei em choque.”, disse.

A mulher afirmou que foi atraída porque os fraudadores continuavam dizendo que ela tinha que colocar mais dinheiro se quisesse sacar algum de seus ‘ganhos’. Essa é uma tática comum desse tipo de golpe, eles inventam taxas, seguros e todo tipo de cobrança para poder “sacar o dinheiro”, mas a verdade é que eles estão apenas arrancando cada vez mais da vítima.

É um golpe que funciona explorando angústia e medo, criando desespero por parte das vítimas que acabam se descontrolando, é uma situação que pode parecer enganar apenas os mais bobos, mas esses golpistas são mestres em engenharia social e emocional.

“Assim que comecei a dizer ‘antes de investir mais dinheiro, posso começar a sacar um pouco disso?’ eles disseram: ‘não, não, não, você ainda não atendeu aos nossos requisitos”.

US$ 27.000 roubados pelos golpistas, banco não pode ajudar

A mulher só notou que tinha algo errado quando pediu algum documento por escrito, eles lhe enviaram um contrato com uma demanda de US$ 25.000, que indicava que, se ela não pagasse, poderia ser processada judicialmente, ter seus bens congelados ou ser denunciada por lavagem de dinheiro.

Ela entrou em contato com seu banco, Commonwealth, mas após quatro meses de investigação, eles disseram que não poderiam recuperar o dinheiro, dizendo em uma carta que acreditam que ela foi enganada.

A situação toda se desenrolou em 2020, mas a mulher só revelou agora, após todas as investigações, ela pôde falar sobre o que aconteceu para alertar outros.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Matheus Henrique
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.

Últimas notícias

Bitcoin 2024

Últimas notícias