“Não vão parar de imprimir” diz Putin sobre dólar americano e dívida de US$ 33 trilhões

O que deveria ser uma explicação sobre os motivos que levaram a Rússia a invadir a Ucrânia acabou se tornando uma plataforma para Vladimir Putin falar sobre outros assuntos. Um dos destaques da conversa com Tucker Carlson ficou para o dólar americano.

Vladimir Putin, presidente da Rússia, deu sua primeira entrevista internacional na última quinta-feira (8). Na oportunidade, comentou que o dólar é a principal arma dos EUA para preservar seu poder sobre o mundo.

No entanto, Putin afirmou que às sanções americanadas foram um erro estratégico por parte dos EUA. Afinal, até mesmo seus aliados estão diminuindo suas participações em dólar, algo que o presidente russo classificou como uma resposta em relação aos congelamentos de saldos.

Para alguns, a conversa entre Vladimir Putin e Tucker Carlson também pode moldar as eleições americanas deste ano. Afinal, Putin possui uma ligação muito maior com Donald Trump do que com Joe Biden, atual presidente dos EUA.

Vladimir Putin fala sobre dólar americano, inflação, sanções e dívida pública dos EUA

O que deveria ser uma explicação sobre os motivos que levaram a Rússia a invadir a Ucrânia acabou se tornando uma plataforma para Vladimir Putin falar sobre outros assuntos. Um dos destaques da conversa com Tucker Carlson ficou para o dólar americano.

“Usar o dólar como uma ferramente de política estrangeira foi um dos grandes erros feitos pelos líderes americanos”, iniciou Putin sobre o tema. “O dólar é o pilar do poder dos EUA.”

“Acredito que todos entendam muito bem que, não importa quantos dólares são impressos, eles são rapidamente espalhados por todo o mundo. A inflação nos EUA é mínima, está em 3% ou 3,4%, o que penso ser totalmente aceitável para os EUA, mas eles não vão parar de imprimir. O que a dívida pública de US$ 33 trilhões de dólares nos diz? É sobre a emissão.”

Putin não é o único preocupado com a economia americana. Também nesta semana, Jerome Powell, presidente do Federal Reserve, chamou a dívida americana de “insustentável” no longo prazo.

Seguindo, o presidente da Rússia afirmou que o dólar é a “principal arma” usada pelos EUA. No entanto, afirmou que os EUA erraram feio, já que até mesmo os aliados americanos estão diminuindo suas posições em dólar americano.

“Todos estão começando a olhar maneiras de se proteger”, continuou Putin, notando que a restrição de transações e congelamento de ativos “causa uma grande preocupação e envia um sinal para o mundo todo”. Como exemplo, notou que antes de 2022, 80% do comércio internacional russo era feito em dólar ou euro, sendo 50% em dólar, mas agora esse número caiu para apenas 13%.

Governos podem começar a olhar para o Bitcoin como solução

Afirmando que essa foi uma decisão dos EUA, e não da Rússia, Vladimir Putin destacou que agora a Rússia está usando sua própria moeda, o rublo, mas também o yuan. A explicação, segundo Putin, é que a filosofia política da China não é agressiva.

No entanto, as ressalvas de Putin sobre o dólar valem para qualquer moeda. Ou seja, nenhuma delas possui controle sobre a emissão, o que poderia ser ainda pior no caso de uma dominância no comércio global.

Por conta disso, parece apenas questão de tempo até que países comecem a utilizar o Bitcoin no comércio internacional. Afinal, além de não ser controlado por ninguém e ter uma emissão controlada pela matemática, o Bitcoin também é um ativo sem censura, não podendo ser utilizado como arma política.

A entrevista completa pode ser assistida na integra abaixo.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias