Novidades sobre o caso da MT Gox chegam a público

Comunidade continua de olho!

Siga no

A maior corretora de criptomoedas do mundo em 2013 era a MT GOX, uma empresa que chegou a processar 70% de todos os Bitcoins em circulação, a existiu até a data de um infame ataque hacker no início de 2014.

O ataque que a exchange sofreu teve consequências graves para quem tinha criptomoedas na plataforma e para toda a comunidade de criptomoedas mundial, levando a prejuízos enormes pelo mundo todo com a despencada dos preços devido às incertezas sobre o futuro do mercado, que ainda era novo.

Só que a história do hack não foi engolida pelas pessoas que logo foram em cima do dono da exchange solicitar seus fundos. O processo ainda corre na justiça e pelo jeito ainda continua causando inúmeros problemas ao mercado.

A queda nos preços das criptomoedas de janeiro até maio de 2018 são suspeitas de terem sido causadas pelas vendas de Bitcoin e Bitcoin Cash que a MT GOX tinha em seus endereços. No início de 2019 este caso volta a tona com informações de uma organização que acompanha o caso.

Um website que foi criado para manter unida a comunidade lesada pela MT GOX, que se chama GOXDOX, aponta que em 2018 o administrador dos fundos da antiga operação continuou a vender moedas no mercado, em específico na exchange BitPoint.

Esse fato não deveria ter acontecido de acordo com conselhos oferecidos por Jesse Powell, que é fundador da Kraken e está ajudando no caso, do qual havia desaconselhado esta atitude pelo administrador dos fundos da MT GOX, Nobuaki Kobayashi de vender as moedas no mercado de exchanges, um conselho que pelo levantamento publicado pelo GOXDOX em 05 de fevereiro em seu blog foi totalmente ignorado.

Este caso ainda pode refletir no cenário de criptomoedas em 2019 porque é o maior hack da história do Bitcoin até os dias de hoje, e a sua venda nas exchanges faz com que os preços do ativo sofra desvalorização forte, visto que o mercado trabalha com book de ofertas.

Em novembro de 2018 mais um fork do Bitcoin foi criado que é o BSV, ou seja, há mais moedas para serem despejadas no mercado dos fundos da MT GOX caso eles novamente utilizem a prática, e ao que parece até então, essa situação ainda tem muito para render antes da resolução final.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Bandeira do Brasil, martelo da justiça e Bitcoin pede

Ex-funcionário pede que justiça procure bitcoins de empresa onde trabalhou

A sexta Câmara do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-15), em Campinas, julgou um caso nos últimos dias em que um ex-funcionário pede que bitcoins...
Rapper lança música com Bitcoin escondida em clipe

Rapper lança clipe com R$ 125 mil em Bitcoin escondidos

Um rapper lançou nesta sexta-feira (23) um clipe musical com 0,75 bitcoins escondidos (cerca de R$ 125 mil). As moedas podem ser resgatadas por...
Viaturas da Polícia Civil de São Paulo

Polícia Civil deflagra operação contra 17 empresas de Bitcoin

Buscando encerrar uma fraude em corretoras de Bitcoin no estado de São Paulo, a Polícia Civil deflagrou a "Operação Exchange". Foram cumpridos 6 mandados...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias