O balanço do Facebook pode acender uma luz sobre a Blockchain

Siga no

[quads id=3]

O balanço do Facebook pode acender uma luz sobre a Blockchain ? É um fato que o escândalo que está pairando no mundo por conta do Facebook é totalmente justificado: uma empresa que coleta dados têm sim o dever de proteger seus usuários, e mais do que isso, não utilizar os mesmos para interesses obscuros.

As ações da empresa listada na Bolsa de Valores só caem, cada vez mais pessoas se unem a hashtag #deleteofacebook e esse movimento está longe do fim. A falta de consciência das atitudes da empresa elevaram o debate sobre algo que a maior parte do mundo parece ainda não ter despertado: dados dos usuários.

Nos cadastramos todos os dias em diversas plataformas, concordamos sem ler com vários Termos de Uso, porém com esse escândalo provavelmente teremos usuários mais atentos e quem sabe mais conscientes de que seus dados são de vital importância e devem ser utilizados com muita sabedoria.

Nesse meio de caos para Mark Zuckerberg e seus afiliados, que já foram a público tentar apagar o incêndio sem muito sucesso, agora poderão ver que a solução para redes sociais estão na tecnologia Blockchain.

A tecnologia baseada na criptografia e consenso da comunidade está criando ambientes descentralizados enquanto falamos, provavelmente até acelerando suas criações com essa brecha criada, poderão mostrar o mundo de uma forma mais consciente e segura.

O Google já teve sua grande rede social Orkut reduzida a lembranças e quem sabe agora a rede social “estadista” chamada Facebook pode estar com seus dias contados. Obviamente, a organização ainda detém o Whatsapp e Instagram como ferramentas difundidas na sociedade global, esperamos que destas também não saiam más notícias, apesar da desconfiança global na moral da empresa.

Um detalhe que chama a atenção muito mais do que o escândalo, é que os Deputados Norte Americanos aprovaram a chamada Lei da Nuvem, dando permissão as agências de segurança dos EUA a coletar dados de empresas de tecnologia do país, mesmo que não estejam situadas geograficamente dentro do território. Ou seja, estamos a merce do maior caso de espionagem internacional já realizado, e justamente por estarmos em redes sociais dos EUA.

A posição do autor deste texto é de tristeza com a situação apresentada, não queremos e não necessitamos de tais medidas autoritárias e que ferem o direito de  liberdade individual de cada cidadão global, porém nos enche de esperança e alegria o poder da Blockchain para apagar esse fato da história da humanidade e devolver a tão sonhada liberdade a cada indivíduo!

Nós estamos com um sorteio de um ingresso para o Maior Evento de Criptomoedas do Brasil: Bitconf 2018. Clique aqui e saiba mais sobre o evento e como participar do sorteio!

Fonte: Forbes

[quads id=3]

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Companhia Méliuz (CASH3) criptomoedas AlterBank

Méliuz compra banco digital de criptomoedas por R$ 26 milhões

A companhia Méliuz (CASH3), listada na B3 desde novembro de 2020, comprou o banco digital de criptomoedas AlterBank. A aquisição incorpora 100% da empresa ligada...
Idoso segurando Bitcoins aposentadoria

Empresa passa a oferecer aposentadoria com Bitcoin

Uma parceria entre três empresas do mercado de criptomoedas possibilitou a criação de um produto de aposentadoria com Bitcoin. Os planos de aposentadoria, normalmente chamados...

Líder de pirâmide com Bitcoin é solto e volta a aplicar golpes prometendo lucros

Mesmo depois de ter sido preso e indiciado pela Polícia Civil, o dono da pirâmide financeira "Medina Bank", Izaltino Medina Filho, de 60 anos,...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias