Operação internacional apreende R$ 175 milhões em dinheiro e criptomoedas

Casos chamando atenção das autoridades.

Carro de polícia com sirene ligada policiais criptomoedas Bitcoin
Polícia/Pixabay

A operação “Dark HunTor” contou com um efetivo internacional para realizar uma ação coordenada em vários continentes para derrubar um esquema de tráfico de drogas que acontecia na internet. As informações são do Departamento de Justiça dos EUA.

Esta é a terceira ação com este foco realizada pelas autoridades, a primeira foi a operação DisrupTor em setembro de 2020 e a segunda teve fim no início deste ano com o nome de DarkMarket.

Embora a guerra contra as drogas dos EUA seja antiga, os novos métodos utilizados pelos traficantes requerem que as agências governamentais continuem se atualizando a estas novas formas de realizar negociações ilícitas.

Dez meses de operação internacional que prendeu 152 pessoas

A operação Dark HunTor durou dez meses e envolveu algumas das agências de maior respeito do mundo, como FBI, CIA e Europool, segundo nota da justiça norte-americana.

Essa ação acabou resultando na prisão de 65 pessoas nos EUA, 47 na Alemanha, 24 no Reino Unido, 4 na Itália, 4 na Holanda, 3 na França, 2 na Itália, 2 na Suíça e uma na Bulgária, totalizando 152 pessoas.

Além das prisões, a operação também conseguiu apreender cerca de R$ 175 milhões (US$ 31,6 milhões) em moedas fiduciárias e criptomoedas, bem como várias substancias entorpecentes, como mais de 200.000 ecstasy e 32,5 kg de MDMA, que eram o foco da operação.

“O FBI continua a identificar e levar à justiça traficantes de drogas que acreditam poder ocultar suas atividades ilegais por meio da Darknet.”

Esta operação internacional foi uma continuação da anterior, a DarkMarket, que na época apreendeu mais de R$ 900 milhões, principalmente em Bitcoin (BTC) e Monero (XMR). Além disso, ela deixou pistas em aberto que resultaram nas apreensões e prisões da Dark HunTor, que poderá contribuir com novas ações no futuro.

Guerra às drogas

A guerra às drogas dos EUA é bem antiga e vem sendo batalhada desde antes da criação do Bitcoin. O surgimento das criptomoedas, bem como alternativas de navegação de forma mais anônima vem sendo um novo desafio para as autoridades.

Em 2013, o governo americano derrubou um dos sites mais famosos do ramo de negociação de ativos ilícitos, o “Silk Road”. O site era operado por Ross Ulbricht desde 2011 até a data de sua prisão e atualmente Ross está cumprindo uma pena de prisão perpétua.

Apesar da queda da Silk Road ter sido grande, os vendedores e compradores rapidamente encontraram novos meios de realizar negócios. Como relatado no caso mais recente, oito anos depois da prisão de Ross, a atividade continua sendo realizada amplamente, com olhares atentos das autoridades.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias