Os desafios da Receita Federal em regulamentar as criptomoedas

Siga no
Receita Federal e criptomoedas
Receita Federal e criptomoedas

O Brasil ainda não possui regulação envolvendo o mercado de criptomoedas. Com a falta de legislação específica para o caso, o país deixa de criar oportunidades para um mercado em completa expansão. Longe de uma jurisdição aprovada, a Receita Federal tenta fiscalizar investimentos e empresas do setor.

Uma legislação aprovada para o mercado de criptomoedas poderia garantir direitos e deveres para as empresas do setor. Além disso, uma tributação de investimentos na área deve garantir mais transparência e controle de órgãos responsáveis por fiscalizar o setor financeiro, como a Receita Federal.

Receita espera ter acesso a informações sobre criptomoedas

Embora não exista uma legislação específica para o setor, investimentos em criptomoedas devem ser declarados à Receita Federal. O órgão espera que informações de corretoras e de investidores sejam apresentadas em relação a operações envolvendo ativos digitais.

A regra valeria tanto para investimentos no Brasil, quanto para aplicações em exchanges estrangeiras. Contudo, existe uma faixa estabelecida pela Receita Federal para que essas informações fossem compartilhadas.

Investimentos acima de R$ 10 mil seriam monitorados

O órgão receberia informações de investimentos de pessoas físicas e exchanges, quando as operações ultrapassassem R$ 10 mil mensalmente. Dessa forma, o órgão garantiria maior eficácia em relação ao recolhimento de tributos sobre aplicações em criptomoedas que atinjam esse valor.

Por enquanto essa proposta apenas participou de uma consulta pública criada através da Receita Federal. O órgão ainda encontra entraves para garantir a aprovação de tal normativa, já que as criptomoedas ainda não são reconhecidas legalmente no Brasil. Além disso, uma forte resistência do mercado brasileiro se opõe a essa abertura de informações ao órgão. Contudo, o mesmo acontece com qualquer banco brasileiro. As instituições devem informar ao fisco quando transações acima de R$ 10 mil acontecem.

Por outro lado, esse impasse não impede que investimentos em criptomoedas deixem de ser declarados por cidadãos brasileiros. A declaração acontece de forma espontânea enquanto todos fazem a sua declaração anual de imposto de renda. Segundo a Receita Federal, as criptomoedas podem ser declaradas no Imposto de Renda 2019 através do código 99, em “Outros bens e direitos”. Além disso, os contribuintes que vão declarar suas criptomoedas no imposto de renda devem especificar as compras e os saldos que possuem em criptomoedas no início e no final de 2018.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Paulo Carvalho
Jornalista em trânsito, escritor por acidente e apaixonado por criptomoedas. Entusiasta do mercado, ouviu falar em Bitcoin em 2013, mas era que nem caviar, "nunca vi, nem comi, só ouço falar".
CEFI vs DEFI

DeFi vs CeFi: Finanças Centralizadas vs Finanças Descentralizadas

Finanças descentralizadas (DeFi) são uma das fatias mais cobiçadas da indústria de blockchain hoje, mas a ideia em si tem origens muito mais humildes. Na verdade,...
Tokyo 2020

Emissora usa imagem do Bitcoin para representar El Salvador nas Olimpíadas de Tóquio

As Olimpíadas de Tóquio começaram oficialmente nesta sexta-feira (23), em meio às restrições da pandemia e atraso de um ano. O evento começou com...
Big Techs

Gigantes da tecnologia correm para entrar no mercado de criptomoedas

Amazon, Facebook, Twitter, Reddit, Signal, Kin e provavelmente o Google são apenas algumas das maiores empresas de tecnologia do mundo que agora estão envolvidas...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias