Inicio Bitcoin Peça comida com Bitcoin na Dinamarca

Peça comida com Bitcoin na Dinamarca

Mais de 1500 restaurantes aceitando!

-

Compartilhe
comida com Bitcoin na Dinamarca

A Dinamarca é um dos países europeus nórdicos, e que de acordo com informações já teria em seu território cerca de 1500 restaurantes aceitando Bitcoin como forma de pagamento.

Isso mostra que alguns países ainda estão mostrando força na adoção da tecnologia, que em média caiu em 2018.

A Dinamarca possui como referência os seus doces e os Vikings, sendo estes últimos exploradores ferozes de mares, algo que pelo jeito está ainda no sangue da população.

Uma aplicação semelhanto ao iFood brasileiro, a Hungry.dk é a plataforma de pedidos de comida que aceita o Bitcoin como forma de pagamento.

A Hungry aceita BTC como forma de pagamento desde 2014, porém havia removido a opção quando as taxas da rede ficaram altas em 2017. A função entretanto voltou agora, de forma que os clientes criptográficos podem voltar a utilizar o serviço.

Para os mais céticos com relação a esta novidade, que acreditam que o Bitcoin não é capaz de dar conta de processamentos de rede, a Lightning Network teve um crescimento gigante no seu uso em 2018, algo que em 2019 vai ser provavelmente muito maior.

Apesar de novembro ter sido um mês ruim para preços do Bitcoin, a LN viu cerca de 4.000 Nós serem criados com a tecnologia, com uma grande expectativa que o meio de pagamento mundial sendo BTC seja melhorado ainda mais.

Fonte: https://bitcoinist.com/bitcoin-lightning-network-quadruple/

É uma tendência mundial realizar pedidos de comidas pela web, principalmente por pessoas mais jovens, e aceitar criptomoedas garante mais segurança a ambas as pontas pelo caráter de que as transações são invioláveis e principalmente com a LN crescendo.

O Bitcoin é um ativo novo, aceitar o mesmo como forma de pagamento é uma aposta de que a tecnologia vai vingar, e para quem se arrisca nesses mares a única preocupação deve ser o gerenciamento de risco para evitar prejuízos.

O caso mais famoso de pedido de comida pela web foi com certeza o de 10.000 Bitcoins por uma pizza, mas a situação não tende a ocorrer novamente, será?

Curta nossa página no Facebook e também no Twitter para começar e terminar o dia bem informado. Cadastra-se também na Newsletter para receber em seu e-mail.
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertolucci
Entusiasta de criptomoedas, formado em Análise de Dados e BI. Busquei conhecimento em Análise Técnica e Mercado Financeiro, quando me deparei com o Bitcoin e daí em diante venho escrevendo sobre a criptoeconomia e Blockchain.

MAIS LIDOS

Custo de ataque 51% cai para Bitcoin SV

Um dos pesadelos das redes descentralizadas e públicas é o ataque 51%. Nas criptomoedas alternativas ao Bitcoin (BTC) o problema é maior ainda. A...

FMI e Banco Mundial criam criptomoeda própria

De acordo com um artigo do Financial Times, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial estão desenvolvendo conjuntamente uma blockchain privada para futuras experimentações...

Blockchain substitui talões de rotativos em Belo Horizonte

A blockchain aprimorou os serviços de estacionamento rotativo em Belo Horizonte. Com a tecnologia, a capital mineira contará com um gerenciamento de dados para...
 
Compartilhe
close-link