Pirâmide que roubou 82 mil bitcoins tem líderes acusados com ajuda da CVM

Pirâmide financeira investigada pelos EUA atuou no Brasil e Portugal também.

Uma pirâmide financeira que chegou a atuar no Brasil e movimentou 82 mil bitcoins de vítimas de vários países viu seus principais líderes serem acusados de fraude pela CVM dos EUA, a SEC.

Durante o processo de investigação, a CVM no Brasil e a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários de Portugal ajudaram a esclarecer o caso.

São acusados o líder global da Trade Coin Club e mais três promotores do golpe nos Estados Unidos, que podem receber penas por envolvimento na fraude financeira.

Pirâmide que movimentou 82 mil bitcoins tem líderes acusados com ajuda da CVM no Brasil

No Brasil, pelo menos 5 pessoas se apresentam como funcionários da pirâmide financeira Trade Coin Club no LinkedIn, o que demonstra que o país registrou uma das maiores bases de recrutadores ao lado dos EUA.

Pirâmide financeira internacional, Trade Coin Club tinha 5 funcionários no Brasil e é investigada pela CVM dos EUA
Pirâmide financeira internacional, Trade Coin Club tinha 5 funcionários no Brasil e é investigada pela CVM dos EUA. Reprodução: LinkedIn. Acesso em 05/11/2022.

Com sua atuação nebulosa, a Securities and Exchange Commission (SEC) iniciou um processo de investigação internacional sobre o caso, que movimentou 82 mil bitcoins, avaliados em US$ 292 milhões na época.

As suspeitas indicam que 100 mil pessoas foram lesadas pelo golpe internacional, que chegou a captar clientes no Brasil e Portugal.

Os acusados pelo golpe são Douver Torres Braga, Joff Paradise, Keleionalani Akana Taylor, Jonathan Tetreault. Braga é apontado como o criador do esquema que durou de 2016 a 2018, utilizando a imagem de um robô de negociações para captar clientes.

Com supostas milhares de negociações realizadas, as promessas eram de ganhos de 0,35% ao dia, o que levou muitas pessoas a depositarem seus patrimônios na fraude.

As investigações apontam que 8.396 bitcoins foram para carteiras pessoais do líder do esquema e nunca foram utilizadas em operações, o que indica um claro esquema Ponzi para enriquecimento próprio.

Um dos chefes da Divisão de Execução da SEC, David Hirsh, declarou que Braga apenas lucrou com o esquema ao convencer pessoas interessadas em investimentos de criptomoedas.

“Alegamos que Braga usou A Trade Coin Club para roubar centenas de milhões de investidores em todo o mundo e se enriquecer explorando seu interesse em investir em ativos digitais. Para garantir que nossos mercados sejam justos e seguros, continuaremos a usar ferramentas analíticas e de rastreamento de blockchain para nos ajudar na busca de indivíduos que cometem fraudes de valores mobiliários.”

Marketing multinível utilizado na fraude

O marketing multinível também era uma das técnicas que o esquema utilizou para prometer ganhos adicionais aos investidores, completando as suspeitas da fraude.

Um dos promotores tenta um acordo com o tribunal de justiça, colaborando com as investigações.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias

Bitcoin 2024

Últimas notícias