PIX enfrenta mesmo problema que Bitcoin no Brasil

Sistema de pagamentos digitais instantâneos do Banco Central do Brasil já foi regulamentado.

Siga no
Sistema PIX do Banco Central do Brasil
Sistema PIX do Banco Central do Brasil - Reprodução

O Brasil se prepara para mudar os rumos dos meios de pagamentos, principalmente com o novo sistema de transações eletrônicas do Banco Central. Apesar da boa ideia, o chamado PIX enfrenta o mesmo problema que outros meios de pagamentos digitais, como o Bitcoin, por exemplo.

A população brasileira é uma das mais dependentes do dinheiro em espécie ainda. Durante a pandemia do novo coronavírus, os saques em caixas eletrônicos surpreenderam as autoridades do país, que entre outros motivos, resolveram até lançar uma nova nota de R$ 200, que deve chegar nos próximos dias. Ou seja, novidades surgiram no campo do dinheiro em espécie, mesmo que “forçadas”.

Contudo, para avançar os meios de pagamentos, de físicos para digitais, a infraestrutura deve acompanhar a ideia. De acordo com um especialista que conversou com a Febraban nos últimos dias, o acesso à internet no Brasil ainda é ruim.

Especialista em tecnologia digital aponta que PIX enfrenta o mesmo problema que o Bitcoin no país

O Bitcoin é uma tecnologia de pagamentos pela internet que surgiu em 2009. Essa moeda digital, entretanto, não tem relação com países ou empresas, sendo a primeira descentralizada do mundo. Por ser digital, o Bitcoin funciona pela internet, com transações realizadas entre carteiras digitais, podendo ser enviada de qualquer país em minutos.

Já uma solução nacional brasileira para pagamentos digitais, o chamado PIX, também deverá ter seu funcionamento entre carteiras digitais. Sua principal diferença para o Bitcoin é que o PIX é regulamentado pelo Banco Central do Brasil, ou seja, ambas as tecnologias poderiam ser, pelo menos na teoria, concorrentes.

Em conversa com a Febraban nos últimos dias, Silvio Meira, especialista em tecnologia da Digital Strategy Company, comentou sobre as inovações. De acordo com Silvio, vivemos, principalmente durante a pandemia, novos tempos de experimentação tecnológica.

O especialista apontou que a pandemia trouxe avanços de 30 anos nas últimas semanas, e muitas áreas sentem o reflexo da corrida pela adaptação. Contudo, apesar das boas ideias, um dilema segue sob análise dos especialistas: o acesso à internet no Brasil. Com grandes inovações sendo implementadas, a infraestrutura ainda é precária no país, que não tem cobertura de internet em todo o território.

Segundo Silvio, estamos trocando os cartões de plástico por carteiras eletrônicas, e isso é bom. Contudo, tanto o Bitcoin quanto o PIX enfrentam o mesmo problema no Brasil com relação à infraestrutura. Dessa forma, algumas pessoas não deverão ter condições de se adequar a nova realidade digital, ficando a margem do sistema.

“Será que a gente não devia ter políticas públicas para universalização de acesso competente à internet?”, disse Silvio em live com a Federação Brasileiras de Bancos

Apesar da nova nota de R$ 200, PIX deverá chegar até novembro

A nova cédula de R$ 200 causou temor em algumas pessoas quando foi anunciada, ventilando até a possibilidade de atrasos no PIX. Isso porque, o PIX é um sistema concorrente do dinheiro em espécie, apesar de um diretor da TecBan recentemente apontar que o dinheiro físico e digital são complementares na rotina brasileira.

Os especialistas do Banco Central acreditam que o PIX e Open Banking modernizará o sistema de pagamentos no Brasil. A tecnologia é apontada como o “Fim do Doc e Ted“, que assombram com altas taxas a população brasileira há anos. A expectativa é que até novembro o PIX esteja em funcionamento por grandes bancos, que são obrigados a aderir ao sistema.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Pop it e distrações criptomoedas alternativas altcoins

Quatro altcoins que são distrações para investidores, na visão do admin do Bitcoin.org

Para o administrador do site Bitcoin.org, as quatro criptomoedas alternativas (altcoins) Shiba Inu, Cardano, Dogecoin e Solana são distrações para os investidores. O discurso acompanha...
Venda de fan token do Flamengo

Venda de criptomoeda do Flamengo faz plataforma travar

A venda da fan token do Flamengo nesta terça-feira (19) causou alvoroço na plataforma da Socios, que não deu conta da demanda e acabou...
O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, durante a cerimônia de abertura do Fórum sobre Proteção Integrada de Fronteiras e Divisas, no Palácio do Planalto.

General Augusto Heleno atualiza glossário de Segurança da Informação e cita criador do Bitcoin

O General Augusto Heleno aprovou a atualização do glossário de segurança da informação nacional, que agora cita o criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto. O Gabinete...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias