Por que o Bitcoin está caindo e até onde pode chegar

A decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed) e o aguardado relatório de empregos dos EUA na sexta-feira são eventos-chave que podem impactar ainda mais o mercado de criptomoedas.

O mercado de criptomoedas iniciou o mês de maio enfrentando turbulência, com o Bitcoin liderando a queda ao atingir seu menor valor dos últimos dois meses em US$ 57.600, após quedas consecutivas de 5% na terça-feira (30) e 4% hoje.

De acordo com analistas do setor, a queda do Bitcoin pode ser atribuída à realização de lucros por investidores que entraram no mercado durante as quedas de 2022, bem como à saída de investidores de ETFs de Bitcoin, resultando em uma demanda aparentemente estagnada pelos fundos negociados em bolsa.

De acordo com dados da Apollo, os ETFs de Bitcoin viram saídas de cerca de US$ 325 milhões nos últimos sete dias, marcando a terceira semana de saídas líquidas. O Bitcoin agora registra uma queda semanal de 13%.

Bitcoin ETF flows (Apollo)
Bitcoin ETF flows (Apollo)

Até onde o Bitcoin pode cair?

Olhando os movimentos técnicos do mercado, os analistas e investidores agora tentam saber até onde o valor pode chegar, com o Bitcoin agora sendo negociado abaixo de sua média móvel de 50 dias, um indicativo de fraqueza técnica.

Analistas como Lucas Thierre, do canal SuperCrypto, destacaram possíveis níveis de suporte para o Bitcoin, identificando uma retração Fibonacci de 61,8% em torno de US$ 55.700 e uma área de consolidação entre US$ 51.000 e US$ 52.000 como alvos técnicos.

As preocupações macroeconômicas nos EUA têm exercido pressão sobre o mercado, com o Bitcoin demonstrando correlação com outros ativos de risco, como ações. A incerteza em torno das perspectivas de inflação e taxas de juros tem influenciado o sentimento dos investidores.

A decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed) e o aguardado relatório de empregos dos EUA na sexta-feira são eventos-chave que podem impactar ainda mais o mercado de criptomoedas.

“Tanto a decisão do Fed mais tarde hoje quanto os dados mensais de emprego na sexta-feira têm potencial suficiente para acelerar ou reverter a tendência de baixa do Bitcoin]”, disse Thierre.

É esperado que o banco central americano mantenha as taxas de juros estáveis, de acordo com os dados de preços de futuros dos fundos federais. Os investidores procuram pistas do presidente da Fed, Jerome Powell, sobre o que precisa de acontecer antes que as taxas possam cair.

Além do Bitcoin, as principais criptomoedas também sofreram desvalorizações. Altcoins como Solana e Ripple também registraram perdas de dois dígitos. As memecoins, incluindo Dogecoin e Shiba Inu, ficaram ainda mais no vermelho, refletindo a ampla pressão de venda no mercado.

Enquanto isso, o Ethereum (ETH), a segunda maior criptomoeda do mercado, também está enfrentando pressão de venda, caindo 6,3% na terça-feira e continuando sua queda hoje. O par ETH/USD está sendo negociado 11% mais baixo na semana, a US$ 2.828.

A capitalização de mercado global das criptomoedas está atualmente em US$ 2,16 trilhões, com o Bitcoin representando 52,9% desse valor. A volatilidade persistente do mercado destaca a incerteza entre os investidores, com muitos observando de perto o comportamento do Bitcoin e das altcoins nos próximos dias.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de criptomoedas do mercado ganhe até 100 USDT em cashback. Cadastre-se

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Vinicius Golveia
Vinicius Golveia
Formado em sistema da informação pela PUC-RJ e Pós-graduado em Jornalismo Digital. Conhece o Bitcoin desde 2014, atuando como desenvolvedor de blockchain em diversas empresas. Atualmente escreve para o Livecoins sobre assuntos de criptomoedas. Gosta de cultura POP / Geek. Se não estiver escrevendo notícias relevantes, provavelmente está assistindo alguma série.

Últimas notícias

Últimas notícias