Primeiro Tesla vendido por bitcoin no Brasil custou R$ 1,5 milhão

Teste em 2022 do Guia Quatro Rodas apontava que o Tesla S Plaid era o carro mais rápido mundo, com 1.000 cv e apenas 2,5 segundos para ir de 0 a 100 km/h.

O primeiro Tesla S Plaid vendido por bitcoin no Brasil custou R$ 1,5 milhão ao seu novo dono, de acordo com a empresa Osten Group. Com lojas em São Paulo, Santos e São José dos Campos, a empresa é uma das maiores do segmento premium de veículos no Brasil.

Em nota a Istoé Dinheiro, a empresa declarou que efetuou sua primeira venda em bitcoin e já negocia outros cinco veículos com a nova modalidade de pagamentos.

Vale lembrar que a fabricante Tesla, cujo CEO é o bilionário Elon Musk, não aceita bitcoin diretamente para compra de veículos. Contudo, a empresa multinacional com sede nos EUA já investiu em bitcoin e mantém em sua reserva bilhões de dólares na moeda digital

Em primeira venda pública de um Tesla por bitcoin no Brasil, comprador pagou 11,5 BTCs

Para intermediar a compra de veículos por criptomoedas, a Osten Group criou uma nova divisão na empresa chamada Osten Cripto.

Assim, a empresa de São Paulo pretende vender carros e aceitar pagamentos em Bitcoin (BTC), Ethereum (ETH) e Tether (USDT).

De acordo com o diretor da Osten Moove, Fabiano Nagamatsu, todas as transações são realizadas com ajuda de corretoras. Além disso, todas as transações ficam automaticamente informadas ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF).

O diretor ainda acredita que a venda de veículos por criptomoedas é uma realidade no Brasil, que tende a crescer ainda mais no futuro. Após a aquisição de um veículo com a empresa, todos os trâmites normais de aquisição são realizados, como contrato, registro em cartório, entre outras.

No caso da venda do Tesla S Plaid, considerado pelo Guia Quatro Rodas em 2022 o mais rápido do mundo, o comprador pagou 11,5 bitcoins pela sua aquisição.

Durante a fase inicial de aceitar bitcoin como pagamento, a Ostem começou listando apenas veículos elétricos para compra de interessados. Após algum tempo, a empresa pretende expandir o meio de pagamento para outros veículos a combustão.

Empresa ensina clientes a abrir conta na Binance e aceita qualquer criptomoeda listada na exchange como meio de pagamento

Em seu website, a Osten Cripto esclarece as principais dúvidas para seus clientes sobre como comprar um carro pagando com bitcoin ou outras criptomoedas.

Apesar de informar que apenas três criptomoedas estão disponíveis, no FAQ a concessionária ensina seus clientes a abrirem conta na corretora Binance, a maior em volume no Brasil.

Além disso, informa que aceita como meio de pagamentos qualquer criptomoeda listada na Binance, o que expande as opções para interessados em explorar o serviço.

Osten Cripto aceita todas as criptomoedas listadas pela Binance como meio de pagamento para veículos no Brasil
Osten Cripto aceita todas as criptomoedas listadas pela Binance como meio de pagamento para veículos no Brasil/Reprodução. Acesso em 17/05/2023.

Inclusive, uma das exigências para comprar um Tesla com bitcoin, por exemplo, envolve abrir uma conta na Binance, para após isso negociar um veículo.

Quem comprar veículo com bitcoin ganha um NFT

O curioso experimento da Osten ao aceitar criptomoedas dá mais um caso de uso no Brasil para o consumo, com um meio de pagamento revolucionário.

Assim, ao adquirir um veículo e finalizar o processo de compra, o cliente ainda ganhará um NFT da empresa, que pode dar acesso a descontos no pós-venda.

Vale lembrar que além de Tesla, estão disponíveis veículos de outras marcas, como das marcas BMW e BYD.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias