Quantos bitcoins adormecidos existem no mercado?

O endereço 1Fee ainda é o maior da lista, seguido por poucas alterações. Contudo, o montante total sobe de 2,7 milhões para 4,47 milhões de bitcoins (R$ 887 bi). Em porcentagem, tal número equivale-se a 23,5% da oferta circulante atual.

Moeda física de Bitcoin sendo passada para outra pessoa.
Moeda física de Bitcoin sendo passada para outra pessoa.

Movimentações de bitcoins adormecidos costumam chamar a atenção do mercado, tanto pelo tempo em que permaneceram parados quanto pelos montantes. Mas afinal, quantos destes bitcoins estão parados e quanto eles valem?

Segundo dados do site BitInfoCharts, cerca de 2,7 milhões de bitcoins estão parados há mais de nove anos, o montante equivale-se a 528 bilhões de reais. Destes, estima-se que 1 milhão de BTC (R$ 196 bi) pertençam ao criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto.

Diminuindo este tempo para cinco anos, o número de bitcoins quase dobra. São 4,47 milhões de BTC parados, equivalentes a 887 bilhões de reais. Algumas destas carteiras chamam atenção pelos montantes, outras pela organização.

Bitcoin parados há 9 anos

Dos 19 milhões de bitcoins em circulação, cerca de 14% não são movidos há 9 anos. Tal montante, de 2,69 milhões de unidades, equivale-se a 528 bilhões de reais.

Quanto aos motivos de estarem parados, são vários. Como destaque, estima-se que 1 milhão (R$ 196 bi) destes bitcoins pertençam a Satoshi Nakamoto. Além disso, outros tantos podem estar parados para sempre, afinal muitas pessoas não armazenaram suas chaves privadas, talvez pelo pouco ou nenhum valor da moeda em seu início.

Já entre as maiores carteiras, mostradas na imagem abaixo, algumas chamam a atenção. Entre as quinze maiores, oito delas foram criadas entre abril e maio de 2011, contendo 10.000 BTC em cada, nunca movidos desde então. Devido às datas, é provável que o montante total, equivalente a 15,7 bilhões, pertença a uma única pessoa.

Bitcoins adormecidos há mais de 9 anos. Fonte: BitInfoCharts

Seguindo, outro endereço que chama atenção tem início 1Fee que contém 79.957 BTC (R$ 15 bilhões) parados desde março de 2011. A soma é tão alta que atualmente esta é a oitava maior carteira de Bitcoin.

Quanto ao dono, Craig Wright, também conhecido como Faketoshi, já afirmou que era sua. Contudo, o CEO da falida MtGox acredita que tal carteira tenha ligação com o hack de sua exchange, o que deixa Wright como mentiroso ou criminoso.

“O endereço 1Feex contém ~80k BTC roubados da MtGox em março de 2011. Craig Wright está alegando ter controle deste endereço, admitindo responsabilidade legal por danos e juros?”

Bitcoins dormentes há 5 anos

Subindo de nove para cinco anos, o endereço 1Fee ainda é o maior da lista, seguido por poucas alterações. Contudo, o montante total sobe de 2,7 milhões para 4,47 milhões de bitcoins (R$ 887 bi). Em porcentagem, tal número equivale-se a 23,5% da oferta circulante atual.

Bitcoins dormentes há mais de 5 anos. Fonte: BitInfoCharts

Conforme o preço do Bitcoin começou a ganhar tração neste intervalo, bem como uma maior consciência pública sobre segurança, é possível que muitos sejam “hodlers”. Ou seja, pessoas acumulando Bitcoin sem intenção de venda.

Nova safra de bitcoins adormecidos

Já o montante de novos bitcoins adormecidos é surpreendente. Cerca de 78% dos 19 milhões de BTC em circulação estão parados há pelo menos um ano. Tal soma, de 15 milhões de bitcoins, equivale-se a quase 3 trilhões de reais.

Desta vez um endereço diferente ocupa a primeira posição. Segundo o site BitInfoCharts, tal carteira com 116.601 BTC (R$ 23 bi) pertence a Binance e está sendo usada desde 2019, cerca de 3 anos.

Bitcoins parados há pelo menos 1 ano. Fonte: BitInfoCharts

Portanto, deixando esta baleia de lado, tais números podem representar uma nova “safra” de bitcoins e holders que, ao olharem para seus antecessores, acreditam que o Bitcoin é um bom investimento de longo prazo.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias