R$ 5 bilhões em shorts são liquidados após alta inesperada do Bitcoin

Olhando para uma janela de tempo maior, a recente alta de 8% do Bitcoin acaba parecendo insignificante em relação aos últimos doze meses. Como destacado pelo Financial Times, famoso jornal britânico que sempre critica o BTC, o primeiro ETF de Bitcoin foi lançado há cerca de um ano e teve perdas de 70% no período.

Nesta quarta-feira (26), o Bitcoin atingiu seu maior valor desde meados de setembro, chegando a ser negociado por US$ 20.750 nas maiores corretoras. Como resultado desta alta de 8% em apenas dois dias, mais de R$ 5 bilhões em shorts foram liquidados.

Deste total, R$ 2,5 bilhões correspondem a posições vendidas em Bitcoin e R$ 2,2 bi em shorts de Ethereum, criptomoeda que teve uma alta ainda maior no período, de 16%, e voltou a ser negociada acima dos US$ 1.500.

Assim como o BTC, o ETH registrou seu maior preço desde 15 de setembro, dia em que sua rede recebeu a maior atualização da história com o abandono da mineração por placas de vídeo.

Movimento inesperado das criptomoedas

A alta do Bitcoin, Ethereum e outras criptomoedas pegou muitos de surpresa. Afinal, ações de empresas de tecnologia estão em queda nesta semana e, durante muitos meses, houve uma forte correlação entre elas e as criptos.

Microsoft e Google estão em queda de 8% nesta quarta-feira (26), o mesmo movimento pode ser observado nas ações das fabricantes de placas de vídeo NVIDIA e AMD, ambas registrando perdas de mais de 3%.

Portanto, a liquidação de R$ 5 bilhões em shorts (posições vendidas) em Bitcoin e outras criptomoedas parece natural conforme ninguém previu esta retomada do mercado.

Liquidações de shorts em Bitcoin, Ethereum e outras criptomoedas ultrapassa os R$ 5 bilhões nos últimos dois dias. Fonte: Coinglass.

Por fim, não há notícias que justifiquem tal otimismo. Embora o Twitter esteja criando sua própria carteira de criptomoedas e Reino Unido caminhando para reconhece-las como instrumento financeiro, é difícil imaginar que elas tenham relação com a disparada do Bitcoin.

Bitcoin vive um dia bom em um ano ruim

Olhando para uma janela de tempo maior, a recente alta de 8% do Bitcoin acaba parecendo insignificante em relação aos últimos doze meses. Como destacado pelo Financial Times, famoso jornal britânico que sempre critica o BTC, o primeiro ETF de Bitcoin foi lançado há cerca de um ano e teve perdas de 70% no período.

Em dólares, as perdas chegam a US$ 1,2 bilhão (R$ 6,38 bi), mas é destacado que o fundo não registrou tanto fluxo de saída quanto esperado. Em outras palavras, investidores de Bitcoin parecem possuir outra mentalidade, sem pânico e crentes de que o BTC irá surpreender a todos mais uma vez.

Por fim, tudo indica que o Bitcoin fechará seu oitavo mês de outubro com ganhos, sendo, por algum motivo desconhecido, este o melhor período do ativo nos últimos 10 anos.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias

Bitcoin 2024

Últimas notícias