Real brasileiro é a moeda mais desvalorizada do mundo, diz Financial Times

Situação pode ficar ainda pior, segundo analistas ouvidos pelo jornal inglês.

Siga no

O real brasileiro lidera um ranking um tanto quanto vergonhoso: o das piores moedas do mundo. Desde janeiro, a desvalorização do real frente ao dólar foi de -32%, segundo o Financial Times. É a maior queda registrada neste ano.

E esse cenário – que já é desastroso – pode ficar ainda pior, de acordo com analistas ouvidos pelo jornal inglês. Um dos principais motivos para isso, disseram eles, é a forma como o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vem lidando com o coronavírus.

“O tratamento dado pelo chefe da nação brasileira à pandemia não aumentou a confiança. Além disso, o país tem altos riscos políticos, enquanto que as taxas de juros agora são muito baixas”, disse o gerente de portfólio do DWS Group, Xueming Song, à publicação.

Presidente Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Vale lembrar que, desde o início da pandemia, Bolsonaro vem atuando de forma contrária às recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde), inclusive gerando aglomerações.

Na terça-feira (19) – dia em que o país ultrapassou a marca de 1.000 mortes em 24 horas – ele fez até uma piada dizendo que “quem é de direita toma cloroquina, quem é de esquerda toma Tubaína”.

País tomou uma rasteira, diz especialista

A reportagem do Financial Times lembrou que, até o final de 2019, a moeda brasileira era uma das apostas de 2020. Esse otimismo todo era devido às reformas propostas pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e ao crescimento de 2% esperado para o país.

Seis meses depois, no entanto, tudo veio abaixo. Guedes perdeu a liderança, o presidente da república virou alvo de pedidos de impeachment e o Brasil ganhou o posto de terceiro país do mundo com maior número de infectados pela Covid-19.

Fonte: Ministério da Saúde

Instituições financeiras, que no início do ano previam valorização da moeda, agora estimam que US$ 1 poderá chegar a R$ 6 até o final do ano. “A história do Brasil recebeu uma enorme rasteira”, disse o estrategista do Citi, Luis Costa, ao jornal inglês.

Controle de qualidade no Brasil me deixa nervoso, diz especialista

O jornal também citou que até o início do ano passado, apesar da instabilidade política no país, os investidores estrangeiros ainda apostavam no real por causa da taxa de juros, que era de 6%. O BC (Banco Central), no entanto, cortou a Selic pela metade.

A queda dos juros – somada à pandemia e às ingerências políticas – ajudou a afastar os investidores internacionais e abalou ainda mais a confiança na moeda brasileira, segundo o gerente de portfólio da Robeco, Wim-Hein Pals.

“O controle de qualidade no Brasil me deixa um pouco nervoso porque o país não tem o melhor histórico de gerenciamento da inflação”, disse ele ao Financial Times.

Esse receio internacional com relação à economia brasileira pode ser verificado por meio do risco-país, indicador que mede o medo do mercado. Em 2020, o risco-país triplicou, passando de 106 pontos no início do ano para 341 pontos em maio – um dos maiores entre os países emergentes.

Leia mais sobre:
Lucas Gabriel Marins
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).
PayPal e Bitcoin criptomoedas blockchain

Ações do PayPal podem valorizar 46% “graças ao Bitcoin”, diz analista

Por causa do Bitcoin, o PayPal pode alcançar uma incrível valorização no preço das suas ações. Um analista da Mizuho Securities elevou sua estimativa...

Irã sofre com apagões, governo culpa mineração de Bitcoin

O governo do Irã tem apontado que os recentes apagões ocorridos no país têm sido causados pelo alto consumo das fazendas de mineração de...
Bandeira da Nova Zelândia

Banco Central da Nova Zelândia é hackeado

Há uma semana, no domingo (10), o Banco Central da Nova Zelândia foi alvo de um ataque hacker que deixou graves consequências. As autoridades...

Cotações por TradingView

Últimas notícias

Irã sofre com apagões, governo culpa mineração de Bitcoin

O governo do Irã tem apontado que os recentes apagões ocorridos no país têm sido causados pelo alto consumo das fazendas de mineração de...

Banco Central da Nova Zelândia é hackeado

Há uma semana, no domingo (10), o Banco Central da Nova Zelândia foi alvo de um ataque hacker que deixou graves consequências. As autoridades...

Binance abre inscrições para voluntários no Brasil

Quem busca empreender com criptomoedas ou mesmo ingressar nas comunidades brasileiras, uma oportunidade de aprendizado surgiu nos últimos dias. A Binance, a maior maior...

Uganda desliga internet, comércio de bitcoins para de funcionar

Na véspera das eleições presidenciais, o governo da Uganda bloqueou, sem avisar, a Internet de toda população. Isso ocorreu depois de os ugandeses contornarem...

“Gaste o máximo que puder, e depois um pouco mais”, diz FMI aos governos do mundo todo

A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, prevê que pode levar até dois anos para que a economia global retorne aos níveis...