Relação de risco e recompensa do Bitcoin entra em zona atrativa

Quem pretende comprar na queda, deve entender que mesmo com cautela é possível fazer novos aportes no Bitcoin com responsabilidade.

Moeda de bitcoin próxima de botão de compra ou venda
Moeda de bitcoin próxima de botão de compra ou venda

A relação de risco versus a recompensa de se comprar Bitcoin no preço atual entrou em uma zona atrativa, que não era vista desde 2020. Em 2021, o ano foi marcado por uma sequência histórica de altas e grande adoção institucional, o que não possibilitou entradas fáceis para muitos investidores.

De fato, comprar na baixa do mercado é uma tarefa que muitos querem, mas a complicação se dá quando chega a hora de tomar essa decisão.

Isso porque, com a queda do mercado há um medo extremo no sentimento de investidores, visto que eles podem imaginar que a baixa pode demorar ainda. De acordo com um trader veterano, é possível que até o início de 2024 as criptomoedas enfrentem dificuldades ainda.

Relação de risco e recompensa do Bitcoin entra em zona atrativa, segundo indicador

Desde a máxima histórica de US$ 69 mil em novembro de 2021, o Bitcoin registra uma queda de 70%, valendo hoje US$ 21 mil e testando o suporte em US$ 20 mil novamente.

Com uma situação assim, é difícil imaginar que o momento é propício para comprar bitcoin, visto que não se sabe até onde vai o movimento de queda. Vale lembrar que o nível de trade em corretoras tem subido nos últimos dias, com o mercado vendo níveis de dezembro de 2021 novamente.

No entanto, um indicador que mede o risco do Bitcoin versus a recompensa de se comprar a moeda em níveis atuais deu um sinal interessante, ao buscar a mínima do chamado “Risco de Reserva”. No passado, quem comprou BTC nesses níveis pode experimentar as altas do mercado com grande rentabilidade.

Indicador risco de reserva do Bitcoin indica bom momento para compras visando recompensas futuras
Indicador risco de reserva do Bitcoin indica bom momento para compras visando recompensas futuras. Crédito: lookintobitcoin.com

Desde a queda do Bitcoin em março de 2020, esse é o menor nível do indicador, o que representa então uma boa relação de retorno sobre o risco, segundo esse indicador criado em 2019 pela própria comunidade.

Existe uma forma menos arriscada de se comprar Bitcoin?

Comprar bitcoin como um investimento agora é uma prática certamente perigosa, visto que dá a sensação de “pegar a faca caindo”, o que é desaconselhado.

O crítico da moeda digital Peter Schiff, por exemplo, chegou a falar que as pessoas deveriam vender na cotação atual para se comprar mais barato, dando a entender que ele acredita que haverá mais quedas nesse mercado. Contudo, ele fala isso desde que o bitcoin valia US$ 3 mil, ou seja, no longo prazo sua visão não se mostrou tão acertada assim.

Dessa forma, uma estratégia que tem se popularizado nos últimos anos é a de Custo Médio em Dólar, que em inglês tem a abreviação para DCA. Dessa forma, um investidor que tem R$ 1.000,00 para aportar no Bitcoin pode dividir suas compras em vários dias, ou semanas e até meses, para diminuir o preço pago em cada fração, mesmo com a alta volatilidade do mercado.

No longo prazo, essa estratégia se mostrou correta e promissora para garantir aportes seguidos no mercado e uma rentabilidade positiva mesmo com a queda.

O site Bitcoin Hodler mostra que, se um investidor tivesse comprado US$ 10,00 por semana desde janeiro de 2020, a rentabilidade acumulada desde então é de 22%.

Quem investiu 10 dólares por semana no Bitcoin desde 2020 está com lucro e grande recompensa
Quem investiu 10 dólares por semana no Bitcoin desde 2020 está com lucro. Crédito: bitcoinhodler.io

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias