Remessas online com Ripple são mais rápidas e baratas

Fintechs são alternativas aos bancos!

Siga no
Criptomoeda Ripple (XRP), Mastercard e Visa
Criptomoeda Ripple (XRP), Mastercard e Visa

Os bancos tradicionais são as principais instituições que trafegam dinheiro entre países. Com o crescimento das fintechs, as remessas online têm ganhado espaço, com a tecnologia das criptomoedas como a Ripple, por exemplo, ganhando tração.

A proposta das fintechs é criar estruturas financeiras, com soluções de bases tecnológicas. Na prática, são startups com foco em inovação do sistema financeiro.

De acordo com um estudo recente, estas tem realizado muito mais que apenas inovações. Os custos dos serviços e, além disso, o tempo para execução tem sido cada vez menores.

Remessas online utilizam tecnologia Ripple para baratear  custos e acelerar o tempo

O ato de realizar remessas vem do fato do mundo estar cada vez mais globalizado, com pessoas migrando para outros países a cada dia. Com isso, há a necessidade de enviar dinheiro para suas famílias, seja qual for os motivos.

Dessa forma, o ato de enviar remessas online é uma atividade com imenso monopólio pelos bancos tradicionais. Uma das principais estruturas do setor é o SWIFT, que é um código utilizado para realizar transações entre instituições de países diferentes. Neste caso, para enviar uma remessa, uma taxa deve ser paga ao SWIFT caso a estrutura utilizada seja essa.

Contudo, com a inovação em constante crescimento, o setor de remessas online já foi atingido pelas criptomoedas, principalmente a Ripple. Neste caso, a criptomoeda tem feito parcerias com instituições do setor para ser utilizada cada vez mais.

De acordo com uma pesquisa feita por Mariana D’Ávila, para o portal de notícias Infomoney, as remessas online com tecnologia das criptomoedas custam até 5% menos que em bancos.

Alta do dólar em 2019 ajudou na popularização das fintechs de remessas

Segundo o levantamento feito pelo portal de notícias, a alta do dólar (USD) em 2019 foi um dos motivos que ajudaram as fintechs. Isso porque, além de ficar mais caro viajar para o exterior, enviar dinheiro para outros países ficou mais complicado.

Com a diferença entre os setores tradicionais para as fintechs, a busca pelos serviços cresceram. Algumas fintechs não utilizam o serviço com blockchain, mas ainda sim são mais baratas que os bancos.

Custos de remessas online com blockchain da Ripple é mais competitivo
Custos de remessas online com blockchain da Ripple é mais competitivo -Reprodução/Infomoney

De acordo com a pesquisa, o serviço de remessas mais barato é o Remessa Online, que utiliza a Ripple como parceira. A parceria aconteceu em 2019, conforme apurado pelo Livecoins.

As remessas feitas entre países não são obrigadas a utilizarem o SWIFT, mesmo esse sendo um código famoso na área. Ou seja, não é ilegal enviar dinheiro utilizando serviços de fintechs para isso.

Mesmo assim, a concorrência ainda é grande no setor, com dificuldade de adoção para as fintechs. Ao Infomoney, a gerente da Transferwise, Heloísa Sirotá, citou os desafios do mercado de remessas.

Os bancos cobravam o que queriam porque não tinham competição; ainda hoje, com as fintechs, não há tanta concorrência e o mercado é extremamente concentrado.

Apesar das dificuldades, o setor continua inovando e acelerando as transações, uma vez que o tempo de envio com as fintechs é bem menor. A Remessa Online já dá suporte ao envio de remessas entre pessoas jurídicas. Já a Frente Corretora atua também como corretora de câmbio.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Glaidson dos Santos em pronunciamento feito pela Gas Consultoria antes de Operação da PF Faraó dos Bitcoins

Justiça bloqueia mais de meio milhão do “Faraó dos Bitcoins” em apenas quatro horas

A justiça brasileira determinou o bloqueio de mais de meio milhão de reais das contas do Faraó dos Bitcoins em menos de quatro horas. Essa...
Homem com algemas segurando Bitcoin criptomoedas sequestro prisão

Polícia desarticula quadrilha que iria sequestrar investidor de criptomoedas em Campinas

A polícia militar de São Paulo, por meio de seu Batalhão de Ações Especiais (BAEP), ajudou o Gaeco a desarticular uma quadrilha que planejava...
Imagem de enterro do Bitcoin após morte

Quantas vezes o Bitcoin morreu? 37 só este ano

Segundo estatísticas do site 99Bitcoins, o Bitcoin já foi declarado "morto" 37 vezes apenas em 2021, quase três vezes mais do que todo o...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias