Saiba quais as foram criptomoedas mais e menos voláteis de 2019

Siga no

Quando 2017 chegou ao fim, uma série de criptomoedas havia dado um retorno astronômico para os traders, com alta volatilidade. Ao fim de 2019, algumas criptomoedas foram mais voláteis que outras. Os ganhos, porém, não tiveram tanta relação com a volatilidade.

De fato, dentre às três moedas menos voláteis do último ano está o Bitcoin. Mesmo registrando um ganho de cerca de 90% em 2019, a moeda digital oscilou menos que 0.6. Isso mostra que os investidores do Bitcoin tiveram bons ganhos, com pouca volatilidade.

O cálculo de volatilidade considera o desvio padrão anualizado dos retornos diários. O cálculo da volatilidade é bastante considerado para entender melhor os riscos de um ativo financeiro. Ou seja, quanto maior a volatilidade, maior o risco.

Quais às três criptomoedas mais voláteis de 2019?

A maior volatilidade registrada, segundo um estudo da Longhash, foi da criptomoeda Centrality (CENNZ). Este é um token Ethereum que atualmente ocupa a posição 46 do market cap. A criptomoeda oscilou mais que 1.8 no ano todo, valor considerado alto, mas que teve um retorno positivo de 251% aos seus investidores.

Na segunda posição ficou o token Ignis (IGNIS), que funciona na plataforma Ardor. O estudo da Longhash destacou que ambos os tokens das duas primeiras posições foram criados nos últimos dois anos. Isso pode significar que certamente os traders ainda buscam uma descoberta de preços para essas moedas. No caso da Ignis, mesmo com a alta volatilidade (acima de 1.4), a moeda valorizou apenas 11% nos últimos 12 meses.

Na terceira posição, acima de 1.4 de volatilidade esteve ainda a moeda Enjin Coin (ENJ). Essa que fechou parceria com a Microsoft e Samsung no último ano, valorizou mais que 90% em 2019.

Dentre o destaque de volatilidade está a Chainlink (LINK), que foi considerada a criptomoeda que mais se valorizou em 2019. Ainda que a moeda tenha oscilado entre 1.0 e 1.2 no ano, o retorno foi acima de 480%. Ou seja, neste caso, o risco versus retorno foi muito bom.

E as moedas menos voláteis? Não foram as stablecoins!

Obviamente o estudo desconsiderou as stablecoins, visto que são lastreadas em um ativo e possuem pouca volatilidade. Mesmo assim, a campeã foi ninguém menos que a Ripple (XRP), que é a terceira maior moeda do criptomercado. A XRP oscilou menos que 0.6 em 2019 e deu um prejuízo superior a 47% no ano.

Assim como a Ripple e o Bitcoin, a Gnosis (GNO) foi outra criptomoeda que oscilou abaixo de 0.6 no ano. Com a baixa volatilidade, a Gnosis teve uma leve desvalorização no período, abaixo de 1%. O Bitcoin foi a única moeda que deu bons ganhos dentre às três que menos registraram volatilidade de preços.

criptomoedas mais e menos voláteis de 2019
Criptomoedas mais e menos voláteis de 2019 – Reprodução/LongHash

Criptomoedas como a Ethereum (ETH), Monero (XMR), Dash (DASH) e Zcash (ZEC), estão no lado que menos oscilou de preços no ano (pouco mais que 0.6). Entretanto, as veteranas do criptomercado, que deram bons resultados em 2017, somaram perdas em 2019, sendo -6%, -5%, -49% e -53% respectivamente.

Em resumo, as criptomoedas mais voláteis de 2019 mostraram um bom desempenho de valorização, pelo menos as principais no quesito. Mesmo assim, a relação entre volatilidade e risco não ficou clara com a presença do Bitcoin que se valorizou bastante dentre as menos voláteis.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Glaidson dos Santos em pronunciamento feito pela Gas Consultoria antes de Operação da PF Faraó dos Bitcoins

Justiça bloqueia mais de meio milhão do “Faraó dos Bitcoins” em apenas quatro horas

A justiça brasileira determinou o bloqueio de mais de meio milhão de reais das contas do Faraó dos Bitcoins em menos de quatro horas. Essa...
Homem com algemas segurando Bitcoin criptomoedas sequestro prisão

Polícia desarticula quadrilha que iria sequestrar investidor de criptomoedas em Campinas

A polícia militar de São Paulo, por meio de seu Batalhão de Ações Especiais (BAEP), ajudou o Gaeco a desarticular uma quadrilha que planejava...
Imagem de enterro do Bitcoin após morte

Quantas vezes o Bitcoin morreu? 37 só este ano

Segundo estatísticas do site 99Bitcoins, o Bitcoin já foi declarado "morto" 37 vezes apenas em 2021, quase três vezes mais do que todo o...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias