Senador pede balanço financeiro da Binance, Coinbase e outras corretoras

Até o momento, não há informações se as corretoras responderam à carta do senador.

Com o recente golpe da FTX ainda ecoando pelo mercado, o senador americano Ron Wyden resolveu enviar uma carta para a Binance.us, Coinbase e outras corretoras com sede nos EUA.

Após mostrar-se preocupado com os investidores de criptomoedas, o senador faz 13 perguntas as corretoras em seu texto. Seu intuito é descobrir se elas correm o mesmo risco de falência da FTX.

Sendo assim, a queda da FTX pode servir para a indústria evoluir, mas sua falência não deve ser esquecida. Afinal, esta não é a primeira vez que investidores passam por este pesadelo.

As perguntas feitas às corretoras

Já na primeira pergunta, o senador Ron Wyden busca saber quantas empresas subsidiárias estão sobre o “guarda-chuva” das corretoras, bem como quantas são afiliadas as mesmas.

A pergunta tem ligação direta ao que aconteceu com a FTX. Afinal, sua falência derrubou outras 130 empresas ligadas a ela, incluindo a FTX.US, criando um grande efeito dominó.

Em seguida, o senador questiona se as corretoras mantém os fundos de suas outras empresas separadamente, bem como pede se elas utilizam os depósitos dos clientes para outros fins, não mencionados aos próprios usuários.

Novamente isso está ligado ao que aconteceu com a FTX, que utilizava a mesma conta bancária da Alameda, assim como parecia utilizar os fundos de seus clientes para investir em outros projetos.

Carta enviada à Binance pelo senador americano Ron Wyden.

As outras perguntas seguem a mesma linha, sempre usando os erros da FTX como exemplo.

Outra pergunta questiona se os executivos das corretoras americanas usam os fundos dos clientes para negociar criptomoedas. Outra pede uma lista de imóveis comprados por tais empresas. Afinal, a FTX comprou imóveis para funcionários com o dinheiro dos clientes.

Por fim, o senador também pede por relatórios de dados financeiros da Binance, Coinbase e outras corretoras. Além, é claro, de pedir se as mesmas possuem uma “prova de reserva”, ou seja, uma auditoria que comprove que os fundos de seus clientes realmente estão lá.

Até o momento, não há informações se as corretoras responderam à carta do senador.

Quebra da FTX pode evoluir o mercado de criptomoedas, mas não deve ser esquecida

Esta não é a primeira vez que investidores de criptomoedas passam por um pesadelo. Em 2014, a Mt. Gox era hackeada, mas tentou ocultar esse fato de seus clientes.

Após ficar sem fundos para honrar os saques, declarou falência, assim como a FTX. Rapidamente a indústria, incluindo o CEO da Mt. Gox, falou sobre medidas para evitar reservas fracionárias em corretoras, mas isso foi rapidamente esquecido.

Portanto, a falência da FTX pode servir para que o mercado evolua. Entretanto, não deve ser esquecida no próximo ano. Aos investidores que buscam segurança máxima, estes devem continuar evitando deixar seus fundos em corretoras.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias

Bitcoin 2024

Últimas notícias