Servidores da HP são usados para minerar criptomoeda desconhecida

Ataque surpreendeu ao dobrar o poder de mineração de criptomoeda.

Placa AMD
Placa AMD

Utilizando uma falha no Log4j, servidores da HP, que usam CPU da AMD, sofreram um hack e foram utilizados para minerar a criptomoeda Raptoreum (RTM). Embora seja uma moeda pequena, com capitalização de mercado de R$ 145 milhões, o ataque surpreendeu ao dobrar o poder de mineração da mesma.

Esta falha do Log4j foi amplamente alertada, com recomendações para que ele seja atualizado para uma versão corrigida ou então a tomada de outras ações em casos onde a atualização não é possível.

Apesar disso, os hackers aproveitaram esta falha para minerar Raptoreum (RTM) por cerca de 8 dias consecutivos neste mês. Outro ponto a ser considerado é a segurança destas moedas com baixo poder computacional.

Hackers mineraram R$ 625 mil usando servidores da HP

Servidores Hewlett-Packard 9000 EPYC, conhecidos por usarem processadores da AMD, foram invadidos por hackers devido à falha na biblioteca Log4j e usados para minerar a criptomoeda Raptoreum (RTM) entre os dias 9 e 17 de dezembro.

Embora a escolha da moeda pareça aleatória, na verdade, há um bom motivo para isso. A Raptoreum é minerada apenas por processadores (CPUs), ao contrário do Ethereum (ETH) cujo uso de placas de vídeo (GPUs) são dominantes, assim como o Bitcoin (BTC) com as ASICs.

Desta forma, os hackers dobraram o poder computacional de mineração desta pequena moeda, fazendo com que ele saltasse de 200 MH/s para 400 MH/s durante os oito dias em que usaram os servidores da HP para isso.

“Do nada o hash rate da rede total da Raptoreum aumentou nas últimas semanas, de 200 MH/s para 400MH/s com um único endereço contribuindo com 100-200MH/s […] Poucas organizações no mundo têm as mãos neste tipo de hardware, tornando extremamente improvável que o ataque tenha sido feito usando o próprio hardware. Por meio de uma investigação privada, há fortes evidências que sugerem que servidores Hewlett-Packard 9000 EPYC estavam sendo usados para mineração. Descobrimos que os mineradores estavam usando tinham apelidos de HP e foram interrompidos abruptamente, o que fortalece as especulações de uma violação da empresa”.

O depoimento acima foi feito por um desenvolvedor da Raptoreum ao site EIN, que cobriu a matéria. Além disso, ele também comentou que os hackers conseguiram obter 110 mil dólares (R$ 625 mil) ao minerar 3,4 milhões de RTM.

Hack também é prejudicial para a criptomoeda

Além dos problemas causados aos proprietários dos equipamentos hackeados, como estes servidores, este hack também pode ter grave impacto em uma criptomoeda pequena como a Raptoreum.

Primeiramente, conforme o hacker não tem custo nenhum com hardware e energia, ele pode realizar ataques de 51% em moedas com pouco hashrate. Embora este não seja o caso de criptomoedas como Bitcoin e Ethereum, isso aumenta a preocupação para projetos menores.

Indo além, esta pequena fortunada minerada também pode ser despejada no mercado, fazendo com que a moeda perca seu valor instantaneamente. Outra moeda que é amplamente minerada em ataques semelhantes é a Monero (XMR), apesar disso ela parece ser grande demais para ter estes mesmos problemas.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias