Ataque 51% em Altcoins

A rede Bitcoin possui uma segurança com o seu Proof-of-Work, porém um grande fenômeno está a acontecer que é o Ataque 51% em Altcoins.

O que é o Ataque 51%?

Já mencionamos as principais ameaças as criptomoedas anteriormente, mas não custa relembrar o que esse ataque causa.

Quando este ataque acontece significa que alguém possui a maior parte do poder de mineração da rede, independente de ser Proof-of-Work ou Proof-of-Stake a mineração.

Com isso, quem toma para si esse poder consegue manipular os blocos a ser gerados, ou ainda até blocos anteriores, sendo um ataque muito sério a qualquer rede de criptomoedas.

Ataque 51% em Altcoins?

Já que a dificuldade de tomar a maior parte da rede Bitcoin na mineração é uma tarefa quase impossível atualmente, o foco se voltou a ataques em Altcoins.

Em abril de 2018 a Verge recebeu um ataque dessa modalidade e teve sua blockchain assaltada em 20 milhões de unidades. Porém, em maio de 2018 mais uma vez houve um ataque nessa mesma rede que levou mais 35 milhões de XVG.

O que chama a atenção é que na mesma semana um fork do Bitcoin, chamado de Bitcoin Gold, experimentou dessa água.

Dizem que no caso dessa última estima-se que o prejuízo é de mais de 18 milhões de dólares, algo sério para uma comunidade nova e que prometia ser segura.

É caro realizar um ataque em Altcoins?

Em um estudo recente, estimou-se que um ataque a rede da Ethereum Classic poderia custar em média 70 milhões de dólares. Sim, muito caro.  Mas o lucro pode chegar a 1 bilhão de dólares, ou seja é muito rentável mesmo com custo elevado.

Os custos de um ataque na rede Bitcoin Gold no mesmo estudo foram estimados em 200 mil dólares, e como percebemos quem o realizou levou mais de 18 milhões de USD.

Um último exemplo seria um ataque na rede Bitcoin Cash, outro fork do Bitcoin, que está na casa USD 2 milhões, ou seja, para quem possui essa vontade e dinheiro é possível.

É caro, mas é lucrativo realizar tais ataques.

Todas as Altcoins estão sujeitas a este problema?

Sim, todas estão sujeitas a tal ataque, mas isso não quer dizer que estão vulneráveis ou que seja fácil.

Temos ótimos exemplos de criptomoedas que não possuem esse receio atualmente, como Ethereum, Decred, Nano, e outras mais.

Há moedas que não possuem mineração e nem são blockchains, como a Iota que utiliza DAG (Tangle).