Startup oferece R$ 1 milhão em Bitcoin para quem hackear sua carteira

A GK8 recebeu aporte de U$ 4 milhões para desenvolver uma tecnologia que permite efetuar transações de criptomoedas sem conexão à internet.

-

Siga no
Hacker segurando criptomoeda Bitcoin
Hacker segurando criptomoeda Bitcoin
Anúncio

A startup israelense de cibersegurança GK8 oferece um prêmio em Bitcoin no valor de U$ 250 mil (R$ 1.050.775,00) para quem conseguir violar a carteira fria de criptomoedas da empresa. O desafio será no dia 3 de fevereiro às 11 horas (horário de Brasília) e terá duração de 24 horas. As inscrições já estão abertas.

O cofre digital da GK8 contém cerca de U$ 125 mil (equivalentes a 14 Bitcoins) e o primeiro hacker que conseguir quebrá-lo vai receber o montante, além de mais uma recompensa discricionária que pode chegar a U$ 125 mil, totalizando 28 Bitcoins na cotação atual.

De acordo com o regulamento do desafio, o hacker terá também que explicar detalhadamente como hackeou a carteira. O relatório que deverá incluir o software, o hardware e o passo a passo usado para levar a cabo o ataque deverá ser enviado num prazo de 48 horas.

Anúncio

“Desafiamos os hackers do mundo inteiro a quebrá-la, mas não serão capazes”, afirmou Lior Lamesh, cofundador e CEO da GK8, ao site The Block. Em seu CV consta que Lamesh trabalhou por dois anos como especialista em cibersegurança no gabinete do primeiro-ministro de Israel.

Em setembro de 2019, a GK8 recebeu aporte de U$ 4 milhões para desenvolver uma tecnologia que permite efetuar transações de criptomoedas sem conexão à internet. Segundo a empresa, esse algoritmo criptografado elimina qualquer possibilidade que uma carteira fria sofra ataques cibernéticos.

Carteira “inatacável”

Não é a primeira vez que um desafio desse tipo é lançado e que uma carteira de criptomoedas declarada “inatacável” é violada. Em 2018, o empresário de software antivirus John McAfee ofereceu recompensa de U$ 250 mil para quem penetrasse na carteira de criptomoedas Bifti.

Um grupo de hacker encontrou falhas na carteira, mas não retirou nenhuma criptomoeda, o que levou o empresário a não reconhecer o sucesso do ataque. A competição gerou controvérsias na comunidade cibernética.

O que é uma carteira fria

A carteira fria (cold wallet, em inglês) é um termo usado para Bitcoin armazenados em aparelhos desconectados da internet, como uma hardware wallet, device que gerencia chaves privadas e que funciona como uma espécie de token dos bancos tradicionais.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Andrea Torrente
Andrea Torrente
Jornalista italiano, no Brasil desde 2009. Já escreveu para Gazeta do Povo, Valor Econômico e outros veículos italianos e brasileiros.

Leia mais

Rede social Twitter e Bitcoin (Blockchain)

Blockchain é o futuro do Twitter, afirma Jack Dorsey

O CEO do Twitter, Jack Dorsey, participou nessa sexta-feira (25) do Oslo Freedom Forum 2020. Durante a conversa, Jack deixou claro que a tecnologia...
DeFi pode ser scam?

DeFi Leaks denuncia golpe, investidor pode ter perdido 10 mil DAI

Uma pessoa que detinha pelo menos 10 mil moedas DAI pode ter perdido tudo. Depois que um novo golpe foi denunciado pelo DeFi Leaks,...
Corretora de Bitcoin e criptomoedas Binance

Site da Binance é banido na Rússia

Nesta última quinta-feira, 24, o site da Binance (maior corretora de criptomoedas do mundo) foi bloqueado e colocado na em uma lista negra da...

Últimas notícias

DeFi Leaks denuncia golpe, investidor pode ter perdido 10 mil DAI

Uma pessoa que detinha pelo menos 10 mil moedas DAI pode ter perdido tudo. Depois que um novo golpe foi denunciado pelo DeFi Leaks,...

Site da Binance é banido na Rússia

Nesta última quinta-feira, 24, o site da Binance (maior corretora de criptomoedas do mundo) foi bloqueado e colocado na em uma lista negra da...

Spotify, Epic Games e Tinder se unem contra Apple

Um grupo de empresas está se reunindo contra a App Store, pois sua política tem sido considerada injusta. Dessa forma, empresas como Spotify, Tinder...