“Temos de criar padrões para stablecoins assim como o WWW”, diz controlador da moeda dos EUA

Novo padrão poderia alterar as moedas Tether, Binance USD e USDC, por exemplo.

Stablecoins são criptomoedas lastreadas em algum ativo e não costumam ter volatilidade de preços
Stablecoin são criptomoedas lastreadas em algum ativo e não costumam ter volatilidade de preços

O controlador da moeda dos Estados Unidos fez uma proposta de se criar padrões de stablecoins, assim como o “www” existe para a internet. Essa proposta poderia alterar a forma como essas moedas são negociadas e utilizadas por empresas que as emitem.

Criptomoedas públicas e descentralizadas como o Bitcoin, por exemplo, são construídas com base em ideais de sua própria comunidade, com base na visão deixada por Satoshi Nakamoto quando este criou a tecnologia.

Após isso, surgiram várias criptomoedas no mundo que são centralizadas e seguem apenas o que decidem seus criadores. Exemplos dessas criações são as stablecoins, moedas que utilizam blockchains e possuem lastros em algum ativo.

As stablecoins mais famosas são aquelas emitidas com contrapartida em Dólar, como a USDT, BUSD e USDC. Essas são criptomoedas com volume de negociações diário na casa de bilhões de dólares.

Entre sua principal função está a possibilidade de corretoras de criptomoedas listar stablecoins com pares de criptomoedas, permitindo que traders busquem moedas com valores mais fixos quando em suas operações. Assim, com stablecoins, as operações ajudam aqueles que não querem converter valores para moedas fiduciárias.

Em muitos países, vale o destaque, as stablecoins já são utilizadas como meio de pagamento em comércios. Na Argentina, o uso da USDT cresce com a inflação do país registrando recordes seguidos.

“Stablecoins deveriam atender a padrão único, assim como o www”, sugere controlador interino da moeda dos EUA

Várias empresas emitem stablecoins hoje, como a Circle (USDC), iFinex (USDT) e Binance (BUSD). Assim, cada stablecoin é emitida em uma rede própria, de forma que elas não conversam entre si em suas inovações.

Mas para o controlador interino da moeda dos EUA, Michael Hsu, tudo deveria mudar neste setor no futuro, atendendo a padrões criados por empresas, governos, empresas de criptomoedas e acadêmicos.

Tecnologias emergentes como IA e stablecoins permitem transações em sistemas baseados em blockchain. Stablecoins não possuem padrões compartilhados e não são interoperáveis. Para garantir que as stablecoins sejam abertas e inclusivas, acredito que uma iniciativa de definição de padrões semelhante à realizada pela IETF e W3C precisa ser estabelecida, com representantes não apenas de empresas de criptomoedas/Web3, mas também incluindo acadêmicos e governo.

Hsu ainda disse que conversou com o vice-secretário do Departamento de Comércio Don Graves, onde compartilhou essa necessidade de mudanças. Ele disse que os órgãos governamentais como NIST e OCC estão a disposição para ajudar a criar padrões a stablecoins.

Pressão sobre stablecoins

A nova fala sobre a possibilidade de se criar padrões para stablecoins feita pelo membro do OCC faz parte de uma ampla discussão sobre o setor de criptomoedas.

Dessa forma, stablecoins e DeFi têm atraído atenção de reguladores, que esperam criar regras ao setor e mitigar os supostos danos que essas podem causar ao sistema financeiro tradicional.

Vale lembrar que em novembro de 2021, o G20 disse que as stablecoins não devem operar sem regulação, mostrando haver um interesse em criar regras e padrões para essas criptomoedas privadas.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias