Venezuela fecha bancos e deixa cidadãos sem acesso à dinheiro

Venezuelanos não poderão comprar bens básicos de consumo, como alimentos, remédios e produtos de higiene.

Siga no
Petro Venezuela Maduro
Petro Venezuela Maduro

Enquanto a pandemia provocada pelo coronavírus deixa consequências no mundo inteiro, alguns países têm sofrido mais seus efeitos. Entre eles está a Venezuela. Além da grave crise econômica que enfrenta já há algum tempo, Maduro impôs uma nova medida restritiva aos cidadãos.

Devido às preocupações causadas pela doença, todos os bancos do país estarão fechados. Consequentemente, muitas pessoas não conseguem mais ter acesso ao dinheiro.

A quarentena ordenada pelo presidente Nicolás Maduro após a confirmação de 60 casos no país em apenas uma semana traz graves consequências para o povo. Além dos bancos, diversas outros serviços considerados não essenciais também foram fechados.

Com relação ao setor bancário, apenas um número limitado de pessoas pode ter acesso aos caixas rápidos do país desde o dia 15 de março. Isto tem prejudicado toda a população.

Ao mesmo tempo, o governo continua com ações na tentativa de promover a criptomoeda Petro, criada por Maduro como tentativa de conter a crise pela qual o país passa.

Entretanto, o ativo digital não está sendo aceito em diversos pontos comerciais. Desde antes da quarentena a população já estava sofrendo para comprar bem básicos de consumo.

Agora, de forma paradoxal, o token pode ter mais importância no país devido aos impactos da doença.

Petro Venezuela Maduro
Petro Venezuela Maduro

Venezuelanos não poderão comprar bens básicos de consumo, como alimentos, remédios e produtos de higiene.

Devido a complicada situação que muitos cidadãos da Venezuela vivem no país, os efeitos iniciais da quarentena não chegaram a impactar muitas pessoas.

Em contrapartida, entre os mais afetados pela determinação de Maduro são os pensionistas, sendo que para muitos será difícil ter acesso a renda que recebem a partir de agora.

Dos 3,8 milhões de pensionistas que estão registrados no sistema, cerca de 700 mil não conseguirão tirar dinheiro.

Algo que preocupa é o fato de que essas pessoas também não poderão comprar bens básicos de consumo, como alimentos, remédios e produtos de higiene.

Além disso, o governo também restringiu o acesso a gasolina, para limitar a circulação de pessoas nas ruas.

Esta sequência de ações tende a criar uma reação em cadeia, trazendo cada vez mais problemas para o país de forma geral, sobretudo no que diz respeito a economia e o atendimento à população.

Assim sendo, mesmo que o governo afirme que tem condições de lidar com o coronavírus e reerguer o país após o surto passar, suas ações não parecem confirmar este fato.

Maduro já pediu ao FMI 5 bilhões de dólares para contornar a pandemia no país, mas teve o pedido negado pela entidade. E para tornar o quadro ainda mais preocupante, cerca de 80% da população do país não está devidamente preparada para se proteger e se curar do vírus.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Jeferson Scholz
Jeferson Scholz
Jornalista. Escrevi dois artigos acadêmicos publicados no congresso de comunicação INTERCOM, e fui diretor do documentário universitário "Planeta dos Desmortos - O Mito Zumbi".

Próxima queda do mercado cripto será brutal, alerta “Cobra”, dono do bitcoin.org

O mercado de criptomoedas é cheio de altos e baixos, ao longo de 12 anos os investidores viram períodos de altas constantes, chamados de...

O ouro físico está perdendo espaço para o ouro digital

Nos últimos dias, Neel Kashkari, presidente do banco central americano, disse que não ficaria surpreso se a taxa de inflação nos Estados Unidos subissem...

Repressão global às criptomoedas pode estar chegando, alerta CEO da Kraken

Recentemente o Bitcoin e várias outras criptomoedas tiveram uma alta surpreendente, com muitas alcançando novas máximas históricas (como é o caso do Bitcoin e...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias