Quem usar o Zoom grátis não terá recurso de privacidade

Empresa teve lucro inesperado e virou destaque em bolsas de valores.

Siga no
Privacidade
Privacidade

Com a digitalização da economia, com empresas levando seus negócios para o virtual, é comum ver reuniões online. Uma das principais ferramentas em uso, o Zoom, afirmou que sua versão grátis não poderá mais contar com recursos de privacidade nas chamadas.

A privacidade na rede é um tema sensível e importante, e a temática criptografia tem chegado ao público em geral. Isso porque, com a popularização das criptomoedas, Leis Gerais de Proteção de Dados, entre outros, as pessoas se conscientizam da necessidade de usar a criptografia para se proteger na internet.

O software Zoom tem sido um dos destaques de 2020, com ações na bolsa registrando grande valorização. Além disso, o número de usuários do serviço teve um crescimento exponencial durante a pandemia do novo coronavírus.

Aplicativo Zoom afirma ser grátis, mas problema com privacidade não deixa ser tão fácil assim
Aplicativo Zoom afirma ser grátis, mas problema com privacidade é grave – Reprodução

Teletrabalho, ferramenta Zoom na versão grátis perderá recurso essencial de privacidade

O significado de privacidade é claro, porque significa que uma informação pessoal tem o direito de ser compartilhada apenas com quem é necessário. Contudo, vivemos em uma era em que a privacidade é um tema sensível, e que passa por um grande dilema em meio ao crescimento da internet.

Para o autor do bestsellerSapiens – Uma Breve História da Humanidade”, Yuval Noah Harari, o mundo pós-coronavírus será de vigilância excessiva. Isso porque, os governos constroem ferramentas de vigilância em massa cada vez mais, e usam empresas que coletam dados em seu benefício.

Câmera e Privacidade
Privacidade

Em meio ao dilema com relação à privacidade, a Zoom é uma empresa que tem “escutado” bastante conversa nos últimos meses. Com reuniões feitas pelo aplicativo da empresa, empresas e pessoas podem não estar cientes dos termos da companhia, que envolvem problemas com privacidade.

Mesmo com os problemas públicos e de conhecimento geral, o CEO Eric Yuan fez uma polêmica entrevista nesta última terça (2). Nela, o CEO da Zoom falou que os usuários da empresa que utilizam o aplicativo na versão grátis não terão mais o recurso de privacidade.

O anúncio, de acordo com a Bloomberg, afirmou que a Zoom tem trabalhado próxima ao FBI. Ou seja, os dados de usuários gratuitos podem estar sendo compartilhados com a agência de segurança dos EUA. Eric afirmou que essa medida é para “proteger usuários de mau uso do serviço”, mas o tema é polêmico.

Ações em alta e base de usuários em crescimento, mesmo sem privacidade

Correndo o risco de ter conversas ouvidas pelo FBI, os usuários grátis do Zoom deverão considerar alternativas. Mesmo assim, a base de clientes que pagam pelo Zoom, e aí contam com o recurso de privacidade, cresceu consideravelmente.

As ações da Zoom (ZM:US) triplicaram de valor na Nasdaq, com crescimento de 200% apenas em 2020. As ações da Zoom tiveram enorme crescimento em meio a pandemia do COVID-19, saindo de U$ 67 para o atual recorde de U$ 208 cada.

Em outro ponto, a base de usuários teve um gigante crescimento, com escolas e empresas se reunindo no aplicativo, sendo muitos clientes pagantes. Os planos mais básicos da Zoom hoje, são de U$ 15 (R$ 77), que dariam suporte para reuniões de até 100 pessoas.

Reunião de empresa utilizando o Zoom
Reunião de empresa utilizando o Zoom – Reprodução/Zoom

Com relação às práticas de segurança, a Zoom afirma que está combatendo os trolls que andaram entrando em reuniões. Há relatos, segundo a Bloomberg, que usuários compartilhavam pornografia em reuniões de empresas, e até religiosas, além de gritar palavrões.

A farra dos trolls está sendo controlada, de acordo com o CEO da Zoom e a empresa espera lucrar bastante em 2020. A pergunta que os usuários do Zoom grátis deverão fazer é “Quanto vale a sua privacidade?“, mesmo com o gigante crescimento da empresa no ano.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Imagem: Adobe Stock

Idosa de 77 anos perde tudo em golpe com Bitcoin

Após decidir participar do mercado de criptomoedas, uma idosa de 77 anos caiu em um golpe e perdeu todas as suas economias. O caso...
Montes de Bitcoins e Dólares em negociação transação compra venda

Empresa que rastreia criptomoedas desde 2014 compra Bitcoin pela primeira vez

Uma empresa que rastreia criptomoedas para governos desde 2014 anunciou nesta terça-feira sua primeira compra de Bitcoin como reserva de valor. Em 2021, muitas empresas...

Rússia pode usar Bitcoin para evitar sanções dos EUA

Alexander Pankin, vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, falou ao Interfax sobre os caminhos que seu país pode tomar para evitar sanções americanas, considerando...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias