1.000 bitcoins da ‘Era Satoshi’ são movidos após 13 anos com valorização de 37.499.900%

Devido ao pseudo-anonimato do Bitcoin, é impossível afirmar quem seja o milionário. De qualquer forma, o minerador da Era Satoshi parece estar buscando por mais privacidade já que seu endereço está sendo monitorado.

Mil bitcoins minerados em 2010 foram movidos pela primeira vez em 13 anos na última segunda-feira (4). Conforme o criador do Bitcoin ainda estava ativo na comunidade na data, esses bitcoins são considerados da “Era Satoshi”, que durou até dezembro de 2010.

Quando minerados, esses 1.000 bitcoins valiam cerca de 116 dólares. Hoje a quantia está avaliada em US$ 43,5 milhões (R$ 214 milhões). Sendo assim, a valorização chega a incríveis 37.499.900%.

Como comparação, o maior prêmio já distribuído pega Mega-Sena foi de US$ 378 milhões, mas ele foi dividido entre duas pessoas, e cada uma recebeu R$ 189 milhões.

Minerador de 2010 enviou todo saldo para um único endereço

Conforme as taxas de transação da rede estavam altas nesta semana, o minerador da Era Satoshi pagou cerca de R$ 2.000 para mover todos seus bitcoins para um único endereço.

Apesar do valor das taxas parecer absurdo para nós, vale lembrar que ele transformou US$ 116 em US$ 43,5 milhões, então não deve ser se preocupado em dar uma gorjeta aos seus colegas de profissão.

Carteira que recebeu 1.000 bitcoins que estavam parados desde 2010, data em que foram minerados. Fonte: Blockchair.
Carteira que recebeu 1.000 bitcoins que estavam parados desde 2010, data em que foram minerados. Fonte: Blockchair.

Através da ferramenta BTC Parser é possível ter uma ideia melhor dessa movimentação que envolveu 20 endereços. Os bitcoins haviam sido minerados entre agosto e novembro de 2010 e permaneceram intocáveis até a última segunda-feira (4).

Minerador enviou 1.000 bitcoins de 20 endereços diferentes para um único. Fonte: BTCparser.
Minerador enviou 1.000 bitcoins de 20 endereços diferentes para um único. Fonte: BTCparser.

Milionário está tentando se manter anônimo

Devido ao pseudo-anonimato do Bitcoin, é impossível afirmar quem seja o milionário. De qualquer forma, o minerador da Era Satoshi parece estar buscando por mais privacidade já que seu endereço está sendo monitorado.

Após agrupar os 1.000 bitcoins em um único endereço, o milionário separou a quantia em diversas carteiras. Em média, cada novo endereço recebeu 20 bitcoins, que foram novamente enviados para outros endereços na sequência.

Embora Satoshi Nakamoto ainda estivesse ativo na comunidade na data em que esses bitcoins foram minerados, é difícil que a quantia pertença a ele. Afinal, os mais de 1,1 milhão de bitcoins de Satoshi estão marcados por um padrão chamado de ‘Patoshi’ (Padrão Satoshi).

Com a recente alta do Bitcoin, sua fortuna está avaliada em US$ 47,8 milhões (R$ 234 milhões), suficiente para deixá-lo entre as 30 pessoas mais ricas do mundo. De qualquer forma, Nakamoto nunca vendeu seus bitcoins.

Por fim, voltando ao minerador, além da sorte de ter minerado Bitcoin em 2010, quando a criptomoeda valia centavos, o milionário também teve visão para não vender suas moedas ao longo dos últimos 13 anos. Portanto, sua fortuna é merecida.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias