Polícia confisca R$ 10,7 bilhões em bitcoin de site de filmes piratas

As autoridades alemãs não informaram o nome do site em questão. No entanto, jornais locais afirmam que o site em questão é o Movie2k.to, já fechado, focado em filmes e séries piratas.

Autoridades da Alemanha informaram nesta terça-feira (30) o confisco de 50.000 bitcoins de um site de pirataria de filmes e séries. A quantia é equivalente a R$ 10,7 bilhões e o governo ainda não sabe o que fazer com ela.

No breve comunicado, a polícia alemã afirma que dois homens estão sendo processadas, um alemão de 40 anos e um polonês de 37 anos. Em relação aos bitcoins, um dos acusados teria transferido a quantia voluntariamente às autoridades após ser detido.

Além das acusações de pirataria, os dois suspeitos também estão sendo investigados por lavagem de dinheiro e outros crimes. Os bitcoins teriam sido comprados com os lucros do site.

Site de pirataria foi gigante entre os anos de 2008 a 2013

As autoridades alemãs não informaram o nome do site. No entanto, jornais locais afirmam que o site em questão é o Movie2k.to, já fechado, focado em filmes e séries piratas.

Segundo o portal Golem.de, os dois principais responsáveis pelo site foram processados ainda em 2020 pela distribuição de mais de 880.000 cópias ilegais de filmes. Com a receita gerada por anúncios durante seu tempo de atividade, os suspeitos teriam comprado Bitcoin.

Conforme o site funcionou entre os anos de 2008 e 2013, quando o preço do BTC ainda era baixo, os suspeitos conseguiram acumular mais de 50.000 bitcoins em suas carteiras. Hoje valendo R$ 216.000 por unidade, a quantia é equivalente a R$ 10,7 bilhões.

“O Movie2k foi encerrado em 2013”, informou o jornal Golem.de. “Antes disso, o site era um dos maiores no cenário de streaming ilegal na Alemanha e estava no topo do ranking de visitantes neste país.”

Captura de tela do Movie2k.to de 2013. Fonte: WayBackMachine.

Autoridades confiscam 50.000 bitcoins de site de pirataria

Cerca de 4 anos após o processo inicial e mais de uma década após o fechamento do site de pirataria, autoridades alemãs parecem ter concluído o caso. A investigação contou com o apoio das agências BKA, da Alemanha, FBI, dos EUA, e de uma empresa especializada em TI forense de Munique.

“Quase 50.000 Bitcoins foram provisoriamente protegidos em meados de janeiro de 2024”, informaram as autoridades alemãs. “Os Bitcoins foram apreendidos depois que o acusado os transferiu voluntariamente para carteiras oficiais fornecidas pelo BKA.”

“Isto significa que ainda não foi tomada uma decisão final sobre a utilização [dos bitcoins].”

É possível que essa movimentação já tenha sido notada pelo mercado. No dia 16 de janeiro, há duas semanas, a Arkham publicou um alerta sobre uma transferência de R$ 10 bilhões que estavam parados há uma década.

“US$ 2 bilhões (R$ 10 bilhões) em Bitcoins inativos foram movimentados pouco antes da abertura do mercado dos EUA hoje, em vários endereços vinculados”, escreveu a Arkham há duas semanas. “Os BTC foram movidos uma vez em 2019 e antes disso estava inativo desde 2013.”

Embora a primeira impressão é que essa movimentação tivesse sido causada como um efeito da aprovação dos ETFs nos EUA, agora tudo indica que as transferências estejam ligadas ao caso acima e que os bitcoins estejam sob controle das autoridades alemãs.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias