Baleias aproveitam queda e compram bilhões em Bitcoin

Na gíria do mercado, baleia é um grande investidor. Para fins de estudos e análises, alguns citam que baleias são aqueles que possuem mais de 1.000 bitcoins (R$ 213 milhões) em suas carteiras.

O preço do Bitcoin entrou em uma ‘montanha-russa’ desde a aprovação dos ETFs nos EUA. Após subir para US$ 49.000 no dia 11, o BTC caiu para os US$ 38.500 nas semanas seguintes, preocupando investidores. Já nesta segunda-feira (29), o BTC voltou para os US$ 43.000.

Enquanto alguns estavam preocupados, outros viram a queda como uma oportunidade. Dados do IntoTheBlock mostram que baleias compraram US$ 3 bilhões (R$ 14,8 bilhões) em Bitcoin durante o mês de janeiro. Grande parte dessa acumulação aconteceu justamente após a queda pós-aprovação dos ETFs.

Talvez o ponto mais importante disso foi o mercado ter provado que a região dos US$ 40.000 é um forte suporte. A rápida retomada pode ter frustrado alguns traders famosos que acreditaram que o BTC poderia chegar a US$ 30.000.

Baleias seguem acumulando Bitcoin durante queda

Na gíria do mercado, baleia é um grande investidor. Para fins de estudos e análises, alguns citam que baleias são aqueles que possuem mais de 1.000 bitcoins (R$ 213 milhões) em suas carteiras.

É um grupo seleto que, segundo dados do BitInfoCharts, possui apenas 2.021 membros. Ou seja, um número menor que os 2.640 bilionários que apareceram na lista da Forbes de 2023.

Segundo dados do IntoTheBlock, esse grupo aproveitou a recente queda do Bitcoin para mostrar ainda mais dominância no mercado. Durante este mês de janeiro, essas baleias acumularam US$ 3 bilhões (R$ 14,8 bilhões), o salto é perceptível no gráfico.

“As baleias Bitcoin aumentaram suas participações em BTC em cerca de US$3 bilhões (76.000 BTC) desde o início deste ano.”

Dados on-chain mostram que baleias acumularam 76.000 bitcoins (cerca de R$ 14,8 bilhões) no mês de janeiro, justamente quando o preço do Bitcoin apresentou queda. Fonte: IntoTheBlock/Twitter.
Dados on-chain mostram que baleias acumularam 76.000 bitcoins (cerca de R$ 14,8 bilhões) no mês de janeiro, justamente quando o preço do Bitcoin apresentou queda. Fonte: IntoTheBlock/Twitter.

Embora a queda das últimas semanas tenha acordado alguns ursos que estavam hibernando há um bom tempo, o sentimento do mercado logo virou. No momento desta redação, o Bitcoin está sendo negociado por US$ 43.175, uma alta de 2,1% no mês de janeiro.

Enquanto a tendência no médio prazo continua sendo de alta, suportada por 5 meses de valorização, os pavios formados na vela de janeiro nos gráficos mostram que o mercado ainda não sabe os efeitos da aprovação dos ETFs.

Afinal, enquanto o GBTC, ETF da Grayscale, continua encolhendo, fundos de outras gestoras como BlackRock e Fidelity já são um sucesso. No geral, o fluxo está no positivo, com US$ 744 milhões em excesso, número que sobe para US$ 5,5 bilhões caso o GBTC for excluído da conta.

Dados mostrando volumee fluxo de ETFs de Bitcoin nos EUA. Fonte: James Seyffart/Reprodução.
Dados mostrando volumee fluxo de ETFs de Bitcoin nos EUA. Fonte: James Seyffart/Reprodução.

Por fim, os pequenos investidores, também chamados de sardinhas, devem acompanhar o movimento das baleias caso queiram se manter vivos.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias