FTX pode estar por trás de venda bilionária de Bitcoin

Embora essa venda bilionária de bitcoins pela FTX tenha pressionado o mercado, a notícia pode ser um alívio para os antigos clientes da FTX que estão com dinheiro preso na corretora. Afinal, os R$ 4 bilhões em BTC podem ajudá-la a pagar suas dívidas com os credores.

A FTX, corretora de criptomoedas que declarou falência em novembro de 2022, pode estar por trás de uma venda bilionária de Bitcoin. Os ativos estariam no GBTC, fundo da Grayscale que recentemente foi convertido em um ETF.

Em suma, a FTX teria 22 milhões de cotas de GBTC e, segundo dados privados vistos pelo CoinDesk, a falida corretora vendeu suas participações. Conforme cada cota está avaliada em ~0,00089 BTC, isso representaria cerca de 19.650 bitcoins ou R$ 4 bilhões na cotação atual.

Outro motivo para acreditar que a FTX já vendeu seus GBTCs foi a retirada de um processo da Alameda Research, também fundada por Sam Bankman-Fried, contra a Grayscale. O arquivamento aconteceu na última sexta-feira (19) e também foi noticiado pelo CoinDesk.

FTX ser uma das responsáveis pela pressão vendedora de Bitcoin

Antes do GBTC ser convertido em um ETF, o fundo era basicamente uma prisão já que, dentro de outras limitações, era impossível resgatar suas participações por dinheiro.

Isso explique porque o fundo começou a operar com um desconto no mercado. No entanto, conforme o GBTC possuía bitcoins dando lastro a ele, alguns traders começaram a comprá-lo, imaginando que seu preço se equilibrasse no futuro.

O problema é que esse desconto só aumentou. De 5% foi para 10% e então para 50%. Com a conversão para ETF, o GBTC perdeu todo esse desconto, mas já era tarde. Gigantes como a Three Arrows Capital, que compravam GBTC usando BTC faliram antes de ver isso acontecer.

A FTX foi mais uma que se arriscou nessa estratégia. No entanto, a situação da corretora é ainda pior já que ela usou o dinheiro para fazer essa aposta. Segundo dados do CoinDesk, a FTX possuía quase 20.000 bitcoins (R$ 4 bilhões) em GBTC.

Em seus primeiros dias, o ETF da Grayscale teve saídas de US$ 2,8 bilhões. Portanto, cerca 30%, ou US$ 800 bilhões, devem estar ligados à FTX. Mais bitcoins podem estar ligados a outras empresas que quebraram durante o último inverno das criptomoedas.

Notícia pode alegrar clientes da FTX

Embora essa venda bilionária de bitcoins pela FTX tenha pressionado o mercado, a notícia pode ser um alívio para os antigos clientes da FTX que estão com dinheiro preso na corretora. Afinal, os R$ 4 bilhões em BTC podem ajudá-la a pagar suas dívidas com os credores.

Em outubro de 2023, a nova diretoria da corretora anunciou que estaria pronta para pagar seus clientes, mas que a quantia chegaria a apenas 90%. Portanto, essa quantia pode tapar os 10% que faltavam, caso não estivessem na conta.

A criptomoeda da FTX, o FTT, chegou a subir dos US$ 2,64 para os US$ 2,95 com a notícia nesta tarde. No entanto, voltou a cair logo na sequência.

FTT, criptomoeda da FTX, ensaia alta após notícia de venda de cotas da Grayscale pela FTX, mas volta a cair logo na sequência. Fonte: TradingView.

Por fim, tudo indica que essas sejam os únicos efeitos negativos dos ETFs para o mercado e que a partir disso o mercado estará pronto para seguir em frente.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias