Baleias se agitaram com queda do Bitcoin em meio à guerra

Agitação foi vista também em janeiro de 2022, mas preço subiu 15% depois de uma semana na ocasião.

Baleia e urso ao lado de moeda Bitcoin
Baleia e urso ao lado de moeda Bitcoin

Nos últimos dias o Bitcoin operou em queda, sendo que os endereços de baleias do mercado se agitaram com o movimento, segundo uma análise recente.

Apesar de registrar três dias consecutivos de fechamento em alta, o preço do Bitcoin perdeu 1,9% de seu valor em relação ao Dólar nos últimos sete dias. Cada BTC segue cotado hoje em US$ 39.300,00, com a cotação em Real em R$ 204 mil também operando em queda de 1,44% em uma semana.

E o causador desse movimento tem relação com a guerra entre Ucrânia e Rússia, sendo um evento geopolítico que causa temor em muitos investidores.

Quando a Rússia invadiu a Ucrânia, por exemplo, a queda do Bitcoin foi registrada com muita velocidade no mercado, assim como nas bolsas de valores mundiais. Mesmo assim, houve uma forte recuperação na cotação da moeda digital, movimento que não deixou de ser analisado.

Baleias se agitaram com queda do Bitcoin? Análise diz que sim e isso pode não ser ruim

As baleias são conhecidas pela comunidade Bitcoin pelas carteiras que detém grandes quantidades da moeda, ou seja, quando se movimentam podem causar fortes oscilações no preço, tanto para alta quanto para baixa em corretoras.

E esses movimentos são acompanhados por muitas pessoas e empresas que esperam ajudar a entender o comportamento dos participantes do setor. Uma dessas é a casa de análises de criptomoedas Santiment, que dispõe de várias ferramentas que monitoram essa atividade de grandes players.

Na última sexta-feira (25), a empresa divulgou uma análise sobre o comportamento das baleias quando a guerra na Ucrânia foi deflagrada. Com o mercado operando em baixa, a atividade das baleias foi a maior do mês, mostrando que muitas venderam e compraram na oportunidade.

Santiment explicou volume de transações de baleias de Bitcoin, maiores desde janeiro de 2022
Santiment explicou volume de transações de baleias de Bitcoin, maiores desde janeiro de 2022 /Reprodução

Segundo a empresa, a última vez que as baleias de bitcoin se agitaram tanto foi no dia 24 de janeiro de 2022, um momento que o preço também registrava queda.

Última agitação de baleias virou para alta

Apesar da agitação das baleias do mercado, que realizaram transações de diversos valores, os analistas da Santiment lembraram do que ocorreu no passado recente. Isso porque, após a queda de janeiro, o Bitcoin se recuperou 15% uma semana após o evento, algo que poderia voltar a ocorrer com a nova queda ainda presente em corretoras de criptomoedas.

“Como os preços do Bitcoin chegaram ao fundo de $34,7 mil com as notícias da guerra de quinta-feira, as baleias fizeram algumas transações MASSIVAS. Esta foi a maior quantidade de transações de $100k+ e $1m+ $BTC desde 24 de janeiro, quando os preços subiram +15% na semana seguinte.”

É claro que a queda de janeiro de 2022 é diferente, visto que agora o cenário de guerra na Europa segue sob análise. Mesmo assim, a agitação das baleias nestes momentos não deixou de ser alvo de análise, podendo estas serem importantes para mostrar a liquidez do mercado mesmo em momentos de crise.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias