Bitcoin volta a subir, apesar de saídas recordes em ETFs

Os ETFs estavam acumulando Bitcoin em alta, mas quando o preço estagnou e até caiu, eles começaram a vender em massa. No entanto, o mercado parece ter absorvido essas vendas sem grandes impactos negativos no preço.

O mercado de criptomoedas teve um início de mês agitado com vendas recorde nos fundos negociados em bolsa (ETFs), mas o preço da criptomoeda voltou a subir e voltou a marca de quase US$ 60 mil nesta sexta-feira (3).

Os dados revelam que o ETF de Bitcoin da Fidelity (FBTC) liderou as vendas com um recorde de US$ 191,1 milhões em retiradas. Além disso, o ETF ARKB da Ark também enfrentou saídas de US$ 98,1 milhões, estabelecendo um novo recorde para o fundo.

O ETF IBIT da BlackRock registrou sua primeira queda, com saídas de US$ 36,9 milhões, conforme relatado pelo Livecoins.

Apesar do total de US$ 563,7 milhões saindo de todos os ETFs, o preço do Bitcoin se manteve estável e depois subiu durante o horário de negociações e continuou a registrar ganhos hoje. Analistas estão especulando sobre o motivo dessa resiliência.

Saídas ETFs de Bitcoin (Apollo)
Saídas ETFs de Bitcoin (Apollo)

Bitcoin sobe apesar de saídas em ETFs

Uma teoria é que essas grandes saídas podem indicar capitulação por parte dos traders. Os ETFs estavam acumulando Bitcoin em alta, mas quando o preço estagnou e até caiu, eles começaram a vender em massa. No entanto, o mercado parece ter absorvido essas vendas sem grandes impactos negativos no preço.

Os ETFs representam apenas uma pequena parte do mercado de Bitcoin e estão sujeitos a limitações de horário de negociação, operando por apenas 8 horas e 30 minutos por dia.

Isso significa que os movimentos nos preços do Bitcoin são influenciados por uma variedade de fatores, não apenas pelas atividades dos ETFs.

Outra explicação pode ser o perfil dos investidores envolvidos, com muitos deles sendo novatos no mercado de criptomoedas, comprando durante picos de preço e vendendo durante quedas, uma prática que é vista como uma espécie de “iniciação” no mundo do Bitcoin, os chamados “mãos de alface”.

Além disso, é importante considerar se essas saídas são realmente permanentes. Muitos investidores que entraram no mercado há alguns meses podem estar apenas realizando lucros ou ajustando suas posições. É mais provável que essas saídas sejam estratégicas, com o dinheiro retirado aguardando uma nova oportunidade de entrada.

Mesmo assim, as saídas dos ETFs também podem até ser interpretadas como positivas, pois o dinheiro retirado pode retornar ao mercado em breve, impulsionando ainda mais os preços do Bitcoin.

O sentimento do mercado continua a ser um fator importante, e se as saídas continuarem, indicará que grandes investidores fora dos ETFs estão compensando essas vendas.

No entanto, só o tempo dirá como esses eventos afetarão o preço e o sentimento em torno do Bitcoin até o fim do ano, já que especialistas creditam que a moeda digital pode chegar a US$ 100 mil até dezembro.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na melhor corretora de criptomoedas do mercado ganhe até 100 USDT em cashback. Cadastre-se

Siga o Livecoins no Google News.

Curta no Facebook, TwitterInstagram.

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Vinicius Golveia
Vinicius Golveia
Formado em sistema da informação pela PUC-RJ e Pós-graduado em Jornalismo Digital. Conhece o Bitcoin desde 2014, atuando como desenvolvedor de blockchain em diversas empresas. Atualmente escreve para o Livecoins sobre assuntos de criptomoedas. Gosta de cultura POP / Geek. Se não estiver escrevendo notícias relevantes, provavelmente está assistindo alguma série.

Últimas notícias

Últimas notícias