Brasileiro acusado de fraude com bitcoin é detido nos EUA e pode pegar 30 anos de prisão

Ele é acusado de lavagem de dinheiro, conspiração eletrônica e financeira e fraude bancária. A Promotoria dos EUA estima que o golpe dado por ele e pelos outros integrantes do esquema ultrapasse os R$ 100 milhões.

-

Siga no
Brasileiro acusado de fraude com criptomodas é preso nos EUA e pode pegar 30 anos na cadeia
Empresário brasileiro Gutemberg dos Santos, fundador da AirBit Club. Foto: Reprodução/Wikipedia
Anúncio

A polícia federal dos Estados Unidos (FBI) prendeu nesta semana o brasileiro Gutemberg dos Santos. O empresário, que regulamente publica dicas sobre finanças no Instragam, é um dos fundadores da AirBit Club, esquema de pirâmide financeira que prometia falsos rendimentos associados a criptomoedas.

Santos, que nasceu no Recife (PE), foi detido na Cidade do Panamá e aguarda para ser extraditado para os Estados Unidos, onde também é cidadão. No país norte-americano, ele e outras quatro pessoas são acusadas de montar uma rede internacional para lavar dinheiro.

Brasileiro e outros integrantes da pirâmide financeira lavaram R$ 113 milhões e podem pegar 30 anos de cadeia

De acordo com a Promotoria dos Estados Unidos, Santos e os outros integrantes lavaram pelo menos US$ 20 milhões (R$ 113 milhões) captados de forma irregular dos investidores da AirBit Club.

Anúncio

A ocultação desse dinheiro teria sido feita por meio de várias contas bancárias, criadas tanto no país norte-americano como em outros países.

Além de lavagem de dinheiro, os membros do esquema de pirâmide financeira também são acusados de conspiração eletrônica financeira e fraude bancária.

Nos Estados Unidos, de acordo com o departamento de Justiça de lá, a pena para lavagem de dinheiro e para conspiração eletrônica financeira é de 20 anos de prisão. Já para fraude bancária é de 30 anos.

Além do processo da Promotoria do país norte-americano, Santos e os outros integrantes da AirBit Club também respondem a uma ação movida pela SEC, que é a CVM (Comissão de Valores Mobiliárias) dos EUA.

Na Itália, a AirBit Club também é processada pelo órgão que regula o mercado de capitais do país.

Pirâmide financeira AirBit Club foi fundada em 2015

Santos fundou a AirBit Club em 2015, junto com o mexicano Renato Rodriguez. A empresa, em seu site institucional, se identifica como um clube de investimento e uma mineradora de criptomoedas.

Foto: BehindMLM

Desde aquele ano, Santos e Rodriguez passaram a percorrer o mundo para promover o esquema fraudulento e recrutar novos membros. Eles estiveram nos Estados Unidos e em países da América Latina, da Ásia e da Europa.

Nesses países, o brasileiro e os outros membros do esquema promoviam eventos luxuosos para atrair investidores. Nas reuniões, eles convenciam as vitimas a investir a partir de U$1.000 (R$ 5,6 mil). Em troca, prometiam retornos diários, que nunca foram pagos.

A procuradora interina dos Estados Unidos, Audrey Strauss, caracterizou o esquema como sofisticado. “Eles prometiam taxas extraordinárias de retorno garantido sobre investimentos fantasmas em criptomoedas”, disse.

Qual a história do brasileiro que pode pegar 30 anos de prisão?

De acordo com o jornal Loucos por Marketing, que cobre o setor de marketing multinível desde 2008, Gutemberg dos Santos começou a trabalhar com multinível no Recife, por meio da Herbalife.

Logo depois de conhecer a marca de produtos nutricionais, ele se mudou para os Estados Unidos. No país, ainda de acordo com o site, ele descobriu o submundo das pirâmides financeiras.

Além disso, também segundo o portal Loucos por Marketing, Santos começou a morar em paraísos fiscais na América Central para fugir das autoridades.

Nesse meio tempo, ele também passou a dar dicas sobre investimentos nas redes sociais e virou fonte de grandes portais, como o Yahoo.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Leia mais sobre:
Lucas Marins
Lucas Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).
Carvão e tecnologia blockchain

Minas Gerais lança projeto blockchain para controle de carvão

O carvão é considerado um dos principais recursos naturais para obtenção de energia no mundo. Dessa forma, um dos estados que o produz no...

Investidores se confundem e compram criptomoeda errada que valoriza 500.000% com confusão

Recentemente o projeto Uniswap (UNI) tem ganhado muito a atenção dos investidores, principalmente após ter sido listado na Coinbase, a maior corretora de bitcoin...
Hacker segurando criptomoeda Bitcoin

Grupo de hackers atacavam gamers para roubar Bitcoin

Um grupo de hackers baseado na China atacavam vários gamers em um elaborado plano. As autoridades que investigavam o grupo aponta que há anos...

Últimas notícias

Investidores se confundem e compram criptomoeda errada que valoriza 500.000% com confusão

Recentemente o projeto Uniswap (UNI) tem ganhado muito a atenção dos investidores, principalmente após ter sido listado na Coinbase, a maior corretora de bitcoin...

Grupo de hackers atacavam gamers para roubar Bitcoin

Um grupo de hackers baseado na China atacavam vários gamers em um elaborado plano. As autoridades que investigavam o grupo aponta que há anos...

Doações de Bitcoin começam a chegar para combater queimadas no Pantanal

Algumas doações em Bitcoin começam a chegar para apoiar o combate às queimadas no Pantanal. O dinheiro está sendo arrecadado em uma campanha pela...