Casal é preso por tentar vender segredos nucleares por R$ 500 mil em bitcoin

Caso revelado em outubro de 2021, mas só agora ficou claro que o governo do Brasil teve envolvimento com prisão.

Submarino próximo de navio militar no mar
Submarino próximo de navio militar no mar

Um engenheiro e sua esposa foram pegos nos Estados Unidos tentando vender dados de um submarino nuclear, por Bitcoin, ao Governo do Brasil.

Esse caso foi revelado pelo Livecoins em outubro de 2021, quando o então engenheiro nuclear da marinha dos EUA foi preso em uma operação conduzida pelo FBI. Embora ele tenha sido preso apenas naquele mês, sua situação estava sob investigação há um ano, ou seja, desde 2020.

Apesar de o FBI ter efetuado a prisão do casal, não foi revelado com qual país o engenheiro negociava os segredos industriais militares de seu país. Mesmo assim, o caso agora foi esclarecido pelo New York Times.

Vale lembrar que a marinha dos Estados Unidos é a maior e mais poderosa, única capaz de navegar em todo mundo e com presença global. Ou seja, ver seus segredos vazarem não é nada interessante, principalmente com a escalada da tensão global nos últimos anos.

Casal que tentou vender dados de submarino nuclear por Bitcoin procurou Governo do Brasil

Em outubro de 2021, Jonathan (42) e Diana Toebbe (45) foram presos em uma investigação conduzida pelo FBI e pela Naval Criminal Investigative Service (NCIS).

Buscando compradores para segredos industriais de submarinos movidos a energia nuclear, o casal buscou o Governo do Brasil para vender, conforme informações obtidas pelo NYTimes. Eles são acusados no país agora de serem espiões atuando contra os EUA e podem ser condenados por vários crimes.

Essa informação ainda não havia sido publicamente divulgada por autoridades, mesmo com os espiões se declarando culpados no último mês de fevereiro de 2022. Segundo documentos obtidos pela reportagem, o casal achou que negociar com o governo da Rússia ou China, adversários dos EUA, seria muito complicado.

Dessa forma, eles buscaram um país rico o suficiente para pagar o que eles queriam e que possuí interesse em deter tal tecnologia: o Brasil. Vale ressaltar que o país não detém tal tecnologia e está na corrida mundial para isso, com a visita recente de Jair Bolsonaro a Rússia tratando desse tema, segundo o FolhaPress.

Isso mostra que o engenheiro e sua esposa estudaram a realidade de vários países em busca de vender dados vitais sobre a construção do equipamento de guerra nuclear, mas fracassaram na negociação.

O que aconteceu para serem presos?

Após iniciar as tratativas com o Governo do Brasil, o engenheiro e sua esposa não perceberam que as autoridades brasileiras haviam contado ao FBI o caso e exposto sua falcatrua com os dados de guerra dos EUA.

Assim, um agente disfarçado do FBI começou a negociar os dados por Bitcoin, com o engenheiro obtendo mais de US$ 100 mil em moeda digital. Ele costumava deixar cartões SD com dados em “pontos mortos”, que eram buscados pelos agentes que então confirmavam a veracidade dos dados roubados.

Após uma longa investigação e sucessivas compras, o FBI prendeu ele e sua esposa, que o ajudava no crime. Ambos estão presos, principalmente por violar a Lei de Energia Atômica dos Estados Unidos, podendo enfrentar graves penas em suas condenações.

Compre Bitcoin na Coinext

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br.



Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias