Corretora estatal da Venezuela fecha as portas e converte bitcoins dos clientes em Petro

O anúncio do governo da Venezuela não informa qual taxa de câmbio será aplicada nessa conversão automática. No entanto, vale notar que os venezuelanos perderão dinheiro caso o governo use valores desatualizados.

O governo da Venezuela anunciou o encerramento de sua corretora de criptomoedas nesta segunda-feira (15). Chamada PetroApp, a corretora disponibilizava Bitcoin, Dash e Litecoin para negociação em sua plataforma. Segundo o anúncio, essas criptomoedas serão convertidos automaticamente para Bolívar Digital.

Ao acessar o site da PetroApp o usuário é recebido com uma mensagem afirmando que o governo venezuelano está “fazendo algumas melhorias para melhor atendê-lo”, sem dar maiores detalhes.

Tratando-se de um governo autoritário de esquerda, é difícil arrancar verdades. Embora o governo dê a entender que a criptomoeda Petro continuará funcionando, seu explorador de blocos está inacessível desde o ano passado, um sinal que o projeto está com problemas.

Governo da Venezuela fecha sua corretora estatal de criptomoedas

Em anúncio publicado ainda em dezembro de 2023, o governo da Venezuela anunciou a movimentações dos fundos encontrados no PetroApp para a Plataforma Patria. O PetroApp era o único local onde era possível negociar a Petro, primeira criptomoeda estatal do mundo.

Além da Petro, os usuários também podiam negociar as criptomoedas Bitcoin, Dash e Litecoin, bem como dólar, euro, yuan, rublo e bolívar no PetroApp.

Seja como for, o encerramento da corretora estatal de criptomoedas da Venezuela chama atenção pela conversão automática dos fundos de seus clientes. Os saldos serão convertidos para bolívares digitais.

“Os fundos das carteiras de Bitcoin, Litecoin e Dash serão convertidos em bolívares digitais na próxima segunda-feira, 15 de janeiro de 2024. Concluída esta operação, a Plataforma Pátria fechará as carteiras dessas criptomoedas para concentrar recursos tecnológicos nas carteiras de Bolívar Digital e Petro.”

Preço da criptomoeda estatal Petro e outras criptomoedas. Fonte: Governo da Venezuela.
Preço da criptomoeda estatal Petro e outras criptomoedas. Fonte: Governo da Venezuela.

Na imagem acima também é possível notar que a plataforma do governo está abandonada. O Bitcoin, por exemplo, aparece cotado a US$ 28.325, preço não visto desde outubro de 2023. No momento desta redação, o BTC está sendo negociado por US$ 42.650.

O anúncio do governo da Venezuela não informa qual taxa de câmbio será aplicada nessa conversão automática. No entanto, vale notar que os venezuelanos perderão dinheiro caso o governo use esses valores desatualizados.

Futuro da Petro, criptomoeda estatal da Venezuela, é um mistério

Embora tenha chamado a atenção do mercado na data de sua criação, 2019, a criptomoeda estatal da Venezuela não atraiu nenhuma demanda. Prometendo ser lastreada em petróleo, a Petro seria uma resposta do governo venezuelano para criar uma nova moeda que livrasse seu país da inflação.

Enquanto o bolívar venezuelano chegou a ter uma inflação superior a 2.900% em 2020, o número caiu para 189% em 2023. Uma melhora significativa, mas ainda longe de ser um ativo que alguém queira ter em mãos. Portanto, a conversão automática de bitcoins para bolívares não parece agradar ninguém.

Gráfico mostra que Bitcoin chegou a valer 199 bilhões de bolívares venezuelanos em 2021. Fonte: Google.
Gráfico mostra que Bitcoin chegou a valer 199 bilhões de bolívares venezuelanos em 2021. Fonte: Google.

Já a Petro parece ter falhado em sua missão. Ao que tudo indica, a criptomoeda já está inoperante desde o ano passado e agora o fechamento da PetroApp, único local onde era possível negociar a Petro, faz com que a sua conversão para outras moedas seja impossível.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Entre no nosso grupo exclusivo do WhatsApp | Siga também no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Henrique HK
Henrique HKhttps://github.com/sabotag3x
Formado em desenvolvimento web há mais de 20 anos, Henrique Kalashnikov encontrou-se com o Bitcoin em 2016 e desde então está desvendando seus pormenores. Tradutor de mais de 100 documentos sobre criptomoedas alternativas, também já teve uma pequena fazenda de mineração com mais de 50 placas de vídeo. Atualmente segue acompanhando as tendências do setor, usando seu conhecimento para entregar bons conteúdos aos leitores do Livecoins.

Últimas notícias