Criptomoedas centralizadas

Sua criptomoedas é centralizada ?

-

Siga no
Anúncio

As criptomoedas são centralizadas ou descentralizadas. Ambos os tipos de redes existem atualmente e você provavelmente já interagiu ou ouviu falar de pelo menos uma delas.

Plataformas centralizadas exigem que todos os dados passem por um ponto singular. Ou seja, você não pode enviar ou receber qualquer informação sem passar por esse único ponto, que geralmente é um servidor.

Ao contrário das plataformas centralizadas, as plataformas descentralizadas não exigem que as informações passem por um único ponto.

Anúncio

Várias criptomoedas possuem o conceito de centralização desde sua documentação técnica, outras não deixam isso tão claro, neste sentido, é preciso analisar a blockchain da cripto através do block explorer para identificar o quão centralizada uma criptomoeda realmente é, isso é, quais carteiras possuem a maior quantidade de moedas.

O site https://arewedecentralizedyet.com/ faz esta análise e exibe informações das criptomoedas mais centralizadas no momento. Para rankear as cripto, o site analisa a quantidade de moedas detidas pelos 100 maiores endereços.

Confira abaixo as criptomoedas mais centralizadas:

criptomoedas centralizadas
Criptomeodas mais centralizadas

Ripple costuma ser odiada por boa parte da comunidade de criptomoedas por ser centralizada e por possuir apoio dos bancos, como é possível ver na imagem acima, 98% das moedas estão nas mãos de apenas 100 carteiras.

Nano surpreende com 63%, boa parte se deve ao fato de que Nano já foi toda distribuída e uma boa parte encontra-se em poder das exchanges, aqui fica um alerta pois NANO possuí um ponto de falha a ataques de +51%.

IOTA nasceu pra ser centralizada e por este motivo foi odiada por muito tempo, mas a cripto tem um propósito de ser a moeda da IoT, não possui mineração e tem uma empresa que controla a rede.

Litecoin é outra cripto que deve ser observada com cuidado, com uma porcentagem tão grande assim centralizada, é bom ficar de olho para um possível bump.

Bitcoin Cash surpreende, Roger Ver, criador da Bcash afirma que a moeda é mais próxima do que foi proposto por Satoshi Nakamoto no whitepaper do Bitcoin, mas, olhando por este ponto de vista não parece tão verdade assim, Bcash possui um percentual de 25% em apenas 100 carteiras.

Bitcoin também possui um número curioso, 19% centralizados, isso enfatiza como algumas pessoas, provavelmente os “early adopters” detém grandes quantidades de moedas em um  “eterno” Hodl.

O site permite visualização das carteiras monitoradas e é possível ver que ele leva em consideração as moedas que as exchanges tem em posse.

Carteiras bitcoin com maior bitcoin

Se você queria saber qual moeda é centralizada, visite o site e fique atualizado.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Leia mais sobre:
Mateus Nunes
Mateus Nuneshttps://livecoins.com.br
Analista de Sistemas, aprendiz e entusiasta de criptomoedas e blockchain. Sugestão de pauta: [email protected]

Investidores se confundem e compram criptomoeda errada que valoriza 500.000% com confusão

Recentemente o projeto Uniswap (UNI) tem ganhado muito a atenção dos investidores, principalmente após ter sido listado na Coinbase, a maior corretora de bitcoin...

Tone Vays: “investir em DeFi é idiotice”

Em uma recente entrevista para o canal russo Forklog o famoso trader e defensor do Bitcoin Tony Vays, falou sobre como é investir no...

Coluna do TradingView: Ideias e análises para a semana

Criptomoedas mostram breve recuperação após correção da recente pernada de alta. Confira aqui o que estão pensando os analistas do TradingView. Paulo Tedesco Agora BTCUSD engrena boa tendência...

Últimas notícias

Pioneira, gestora carioca lança primeiro ETF de criptomoedas do mundo

A gestora Hashdex, sediada no Rio de Janeiro (RJ), informou nesta semana que recebeu aprovação para lançar o primeiro ETF (sigla para fundo negociado...

Trader veterano que viu queda no Brasil gosta do Bitcoin

Com o preço do Bitcoin operando abaixo de U$ 12 mil em setembro, a contrapartida foi o aumento da volatilidade no início do mês....

Itaú demite por justa causa funcionário que negociava Bitcoin no horário de expediente

O Itaú Unibanco demitiu por justa um analista de sistemas que, de acordo com a empresa, negociava Bitcoin e outras criptomoedas durante o horário...