Crise na Venezuela afetou preços do Bitcoin

Preço subiu bastante!

-

Siga no
Anúncio

A crise na Venezuela é um assunto delicado e uma tecla que a mídia não cansa de falar sobre e com razão afinal pessoas estão sofrendo por lá, mas essa situação tem afetado os preços de Bitcoin no país.

Por lá a movimentação já fez com que a procura pelo Bitcoin aumentasse de volume nas operações, já há um tempo inclusive, e não é para menos que a população esteja correndo para a moeda.

O chefe da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, se autoproclamou presidente interino do país no último dia 23 de janeiro, com apoio imediato dos EUA e também do Brasil. Bolsonaro discursou seu apoio direto de Davos.

Anúncio

O presidente Maduro disse que não aceita o caso, e decidiu romper até as relações com os EUA. O atual mandatário disse “Aqui não se rende ninguém, aqui não foge ninguém. Aqui vamos à carga. Aqui vamos ao combate. E aqui vamos à vitória da paz, da vida, da democracia“.

Com uma possibilidade até de combates armados entre as forças de oposição do país, que cresce o aumento da instabilidade política e econômica no território, a população já correu as compras de Bitcoin para se proteger da calamidade financeira e talvez até manter seu poder de compra.

Cabe lembrar que a moeda nacional quase não tem valor mais de compra, sendo necessários milhares de bolívares para uma transação simples, e que em uma eventual disputa bélica poderia perder ainda mais o sentido em ser utilizada como dinheiro.

De acordo informações do LocalBitcoins Venezuela, desde o último dia 22 até o dia 24, o preço já subiu cerca de 16% o seu valor. Os dados podem ser vistos pelo website Coin Dance.

A Venezuela sob o comando de Nicolás Maduro já havia anunciado recentemente aceitar o pagamento de impostos com quaisquer criptomoedas, e, além disso, vem sendo incentivado para que a população compre imóveis com criptomoedas.

Em contrapartida, tem circulado nas redes um Twitter de Guaiadó comemorando a primeira instalação de exchange de Bitcoin da Venezuela. O postulante a presidente é contra a Petro no que lhe concerne em outro post em sua rede social.

Logo fica a dúvida, quem é o melhor presidente venezuelano para o Bitcoin? A resposta mais certa seria nenhum dos dois, a criptomoeda é independente de governo e empresas, mostrando que quem a quer é a própria população do país.

O Bitcoin novamente está se posicionando em uma região tensa como uma solução ótima, sendo apresentado em tempos de tenebrosas crises humanitárias como dinheiro confiável.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Finanças Descentralizadas (DeFi) caem 40%, será o fim?

Nos últimos dias assistimos um massacre das moedas de finanças descentralizadas (DeFi), com quedas entre 30% e 58%. Talvez você não tenha acompanhado a...
Bitcoin em corretoras de criptomoedas

Trader veterano que viu queda no Brasil gosta do Bitcoin

Com o preço do Bitcoin operando abaixo de U$ 12 mil em setembro, a contrapartida foi o aumento da volatilidade no início do mês....
Itau demissão criptomoedas

Itaú demite por justa causa funcionário que negociava Bitcoin no horário de expediente

O Itaú Unibanco demitiu por justa um analista de sistemas que, de acordo com a empresa, negociava Bitcoin e outras criptomoedas durante o horário...

Últimas notícias

Pioneira, gestora carioca lança primeiro ETF de criptomoedas do mundo

A gestora Hashdex, sediada no Rio de Janeiro (RJ), informou nesta semana que recebeu aprovação para lançar o primeiro ETF (sigla para fundo negociado...

Trader veterano que viu queda no Brasil gosta do Bitcoin

Com o preço do Bitcoin operando abaixo de U$ 12 mil em setembro, a contrapartida foi o aumento da volatilidade no início do mês....

Itaú demite por justa causa funcionário que negociava Bitcoin no horário de expediente

O Itaú Unibanco demitiu por justa um analista de sistemas que, de acordo com a empresa, negociava Bitcoin e outras criptomoedas durante o horário...