Exchange não é Wallet

Todos os dias vemos nas comunidades de criptomoedas dúvidas sobre esse tema e achamos pertinente explorar o mesmo, pois cada vez mais será procurado com o avanço das criptomoedas.

A diferença pode parecer que não é real, mas é fundamental conhecer o que fazer com suas moedas e onde guardar com segurança.

Estamos acostumados com a Era Bancária, onde depositamos envelopes em caixas eletrônicos e acreditamos que nosso dinheiro está seguro, e realmente está, até certo ponto pelo menos, pois o banco te garante que em caso de fraude irá te ressarcir de seu prejuízo.

Nessa era o que mais vemos é corrupção e lucros absurdos dos bancos apoiados pelos governos,  o que os bancos não esperavam era aparecer uma criptomoeda para revolucionar esse ambiente.

Com o Bitcoin e criptomoedas em geral cada usuário da rede passa a ser o seu próprio banco.

Ser o próprio banco envolve responsabilidades que anteriormente eram delegadas a terceiros, mas agora cabe a cada um guardar com segurança seus próprios recursos.

Vamos primeiramente a definições, o que seria Exchange e Wallet:

  • Exchange são casas de câmbio de criptomoedas, são sites que oferecem aos usuários o seu espaço para troca de criptomoedas de duas formas: existem exchanges que fazem trocas de criptomoedas por moedas fiat e/ou criptomoedas, e outras que não aceitam moedas fiat, somente criptomoedas.
  • Wallet é uma carteira, literalmente, vide tradução da palavra, onde são guardadas as criptomoedas, um ambiente seguro criptografado com public key (chave pública) usada nas transações e private keys (chaves privadas) que são a ligação da criptomoeda a seus recursos. Há também algumas que possuem seeds de recuperação, que são várias palavras para ter acesso aos fundos da private key.

Ao depositar em Exchanges alguma criptomoeda ou mesmo moeda fiat, é também subentendido que depositou confiança e aceitou os termos de cadastro, de forma que não há regulação em exchanges e todo seu recurso passou a mãos de terceiros.

Exchange é um market place muito útil ao desenvolvimento das criptomoedas pelo destaque que dão as negociações, é o local onde ocorrem pumps e dumps, mas não é a forma original pensada por Satoshi Nakamoto em seu paper do Bitcoin, pois o foco era as transações P2P (peer-to-peer), ou seja, trocas de recursos sem intermediários, exchanges são intermediários e detém os recursos de seus usuários.

Uma outra característica das exchanges é a centralização de recursos se tornando um robusto alvo a ciberataques, nesse caso podemos citar muitos que já aconteceram, MT GOX é a mais famosa por ter sido a primeira, uma exchange japonesa que teve todo seu saldo de Bitcoin roubado e há suspeitas de ter sido golpe do seu proprietário.

As recentes “atacadas” foram a Bitgrail sumindo com as Nano dos investidores e a Coincheck que teve problemas com roubo da NEM.

Para quem não acompanhou essas notícias, existem muitas fontes na web, quem já acompanha o mercado há um tempo provavelmente já viu e sabe outros casos mais.

Já que exchange é um marketplace para comprar e vender, voltamos a entender sua diferença com Wallets (carteiras), pois a mesma é desenvolvida com segurança para armazenar criptomoedas.

Fazendo uma analogia, wallet está em seu “bolso” e você tem em seu controle seus recursos, em exchanges estão na mão de terceiros como se fosse um banco, mas a diferença é que banco é obrigado a te restituir, exchange não!

Exchanges guardam as criptomoedas dos usuários em suas próprias wallets, mas lembre-se que eles ainda possuem o controle das chaves privadas.

Existem wallets que são menos seguras como as Web (sites), pois há a possibilidade de ser atacado e não há a quem recorrer.

Não é estranho algum usuário nas comunidades Bitcoin por exemplo falar que teve seus fundos sacados na Web Wallet Blockchain.info (sim, ele é explorer de blocos e wallet).

Wallets de papel podem ser uma boa forma de armazenamento, desde que não rasgue, não pegue fogo e nem molhe, entre outras possibilidades. Wallets de papel (ou qualquer material físico offline) são chamadas de cold wallets e tem a característica de serem seguras, exigindo cuidados com as situações expostas anteriormente.

Há também as Hot wallets, como carteiras em aplicativos para dispositivos móveis (celular ou tablets), ou mesmo aplicativos para computador. São menos seguras que cold wallets, pois seu disco pode dar problema, pegar fogo, ser roubada, um backup da chave privada e/ou seeds pode ser uma boa opção.

Para dispositivos de Hardware existem as Ledgers das quais suportam múltiplas criptomoedas e podem ser guardadas com segurança. A Ledger é uma ótima opção para quem deseja utilizar várias moedas ou mesmo tokens Ethereum, visto que a mesma tem suporte a tokens ERC20.

Dicas de carteiras seguras:

Se desejar adquirir uma carteira de Bitcoin segura, Ledger, nós recomendamos a Jr Envios – Ledgers com garantia de um revendedor oficial.

Caso não queira adquirir uma Ledger e desejar uma hot wallet para dispositivos Android recomendamos a Mycelium e para desktop recomendamos a Electrum.

Para conhecer todas as carteiras recomendadas pela equipe de desenvolvimento do Bitcoin acesse o site: www.bitcoin.org

Para quaisquer outras moedas que desejar investir busque no site oficial a recomendação de wallets, cuidados com apps falsos. Não deixe seus recursos em exchange, somente o necessário para quem faz trade. Para quem é holder somente em wallets com controle de private key em segurança. Se ficou em dúvida ainda nos envie um comentário, estamos a disposição para ajudar.

Leia também: 7 Atitudes básicas para aumentar sua segurança com criptomoedas