Deutsche Bank: “Preço do Bitcoin é baseado em uma ilusão”

Nas últimas semanas o "mundo todo" pareceu estar contra o Bitcoin, com a China pretendendo banir a mineração e adotar políticas mais rígidas contra o criptomercado.

Siga no
Deutsche Bank. Imagem: Flickr
Deutsche Bank. Imagem: Flickr

Com o criptomercado entrando oficialmente em um período de medo e incerteza após a recente queda que testou novos níveis de suporte, antigos “inimigos” voltaram a atacar a criptomoeda, falando que o Bitcoin não tem valor real. Nesta sexta-feira (21) o maior banco da Alemanha, o Deutsche Bank, declarou que o Bitcoin tem o seu valor determinado por uma “ilusão”.

Em um comunicado na quinta-feira (20) o banco mais antigo da Alemanha entrou na onda de criticar o Bitcoin, agora com um estudo intitulado de forma bem provocativa “Bitcoin: Trendy is the last stage before Tacky”, que na tradução livre significa: “Bitcoin: A tendência é o último passo antes do brega”. No documento, o banco compara o Bitcoin com os movimentos do mundo da moda.

“O que é verdade para o glamour e para o estilo também pode ser verdade para o Bitcoin. Assim como um ‘faux pas fashion’ pode acontecer de repente, nós acabamos de ter a prova de que as criptomoedas também podem se tornar coisa do passado.”

De acordo com a estimativa de Labouré, alguma coisa “aconteceu” com o criptomercado nos últimos três meses que levou para a atual situação de queda.

“Tudo o que precisou para que as criptomoedas saíssem de moda foi um tweet e uma declaração do governo da China.”

Para Labouré o Bitcoin tem apenas como “caso de uso” as suas mudanças de valor e que essa é a única razão para o Bitcoin tentar evoluir em uma classe de ativo ou se isso vai fazer com que a criptomoeda prove ser obsoleta.

“O preço do Bitcoin é totalmente baseado em ilusões. O preço do Bitcoin vai continuar a subir e cair dependendo do que as pessoas acreditam que a moeda vale. É o efeito da Sininho, porque fé é essencial.”

“Mundo” continua contra o Bitcoin

Nas últimas semanas o “mundo todo” pareceu estar contra o Bitcoin, com a China pretendendo banir a mineração e adotar políticas mais rígidas contra o criptomercado.

Além disso, Elon Musk também se destacou após ter atacado a moeda no Twitter. 

Até Scott Minerd que estava falando bem do Bitcoin há algumas semanas também virou a casaca.

Assim como aconteceu em 2017, parece que o Bitcoin está caminhando para o seu fim, mas isso aconteceu antes, muitas outras vezes. Aliás, o Bitcoin já foi declarado morto mais de 414 vezes.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Matheus Henrique
Matheus Henrique
Fã do Bitcoin e defensor de um futuro descentralizado. Cursou Ciência da Computação, formado em Técnico de Computação e nunca deixou de acompanhar as novas tecnologias disponíveis no mercado. Interessado no Bitcoin, na blockchain e nos avanços da descentralização e seus casos de uso.
Tesla. Imagem: Shutter Stock

Elon Musk diz que Tesla voltará a aceitar Bitcoin

A Tesla começará a aceitar Bitcoin novamente quando a maior parte do processo de mineração da criptomoeda for realizado por fontes de energia renováveis,...
Bitcoin regulação. Imagem: ShutterStock

Deutsche Bank diz que Bitcoin “passou dos limites” e não pode mais ser ignorado

A popularidade crescente do Bitcoin está incomodando governos e bancos centrais. A gota d'água foi a legalização da criptomoeda em El Salvador. De acordo...
Bitcoin Liberdade

Bitcoin, o novo Índice de Liberdade Econômica

Bitcoin pode ser a medida de liberdade mais neutra do mundo que nenhum país pode acusar de ter preconceito ocidental, ao contrário de alguns...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias