Dólar forte abala criptomoedas e moedas de países fracos

Alta do Dólar pressiona cotação da moeda digital em todo o mundo.

O dólar está cada vez mais forte e pressionando as moedas de países com economia fraca, assim como abala as criptomoedas e o Bitcoin, esse último que tem sofrido no mês de setembro de 2022.

Caminhando para fechar o mês do “setembro vermelho”, período apelidado assim pela comunidade devido ao histórico de prejuízo do Bitcoin, a cotação da maior moeda digital segue em queda.

Nos últimos dias, o banco central dos EUA, o FED, seguiu subindo juros e indicando um descontrole na inflação do país, o que causou novos temores nas moedas mundiais.

Dólar forte abala as criptomoedas e moedas de países fracos

O Dólar se mostra forte no atual momento da economia mundial, causando um “tsunami” contra as moedas fiduciárias de outros países, e também as criptomoedas.

Para o economista austríaco brasileiro Fernando Ulrich, é possível que o Dólar siga subindo nos próximos meses, o que poderia levar a moeda norte-americana ao seu nível de maior força desde a década de 1980.

Caso isso ocorra, as moedas como Real, Euro, Iene, entre outras mais, podem sofrer ainda mais depreciação no curto a médio prazo, indicando uma crise mundial e um aperto monetário no câmbio mundial.

Segundo Fernando Ulrich, a última vez que o Dólar ficou muito forte, a crise assolou os países.

As criptomoedas também estão sendo abaladas pelos ciclos de apertos monetários, visto que buscar refúgio em uma stablecoin ligada ao Dólar e vender Bitcoin, por exemplo, é uma prática que traders tem considerada boa no curto prazo.

Queda do Bitcoin em setembro de 2022 acompanha a média do mês?

Até este domingo (25), o preço do bitcoin caiu 5,5% em relação ao Dólar e caminha para fechar em queda pelo segundo mês consecutivo, caso nada mude até a próxima sexta-feira (30).

Outro detalhe é que caso a queda se confirme, será o sexto mês de 2022 a fechar em queda, com o bitcoin perdendo 66% em relação ao Dólar hoje.

Na média para o mês de setembro, o bitcoin costuma cair 4,7% neste período, ou seja, em 2022, tudo caminha para que o mercado veja mais queda.

Queda do bitcoin no mês de setembro em sua história desde 2011
Queda do bitcoin no mês de setembro em sua história desde 2011. Reprodução: BitcoinMonthlyReturn.

Não está claro quando o banco central dos EUA irá recuar em sua alta de juros, mas está claro que o Dólar segue forçando as moedas concorrentes.

Com a cotação em Real, os brasileiros seguem observando o preço do bitcoin abaixo de R$ 100 mil por unidade, após uma queda de 4,5% nos últimos sete dias segundo dados do Mercado Cripto Brasileiro.

$100 de bônus de boas vindas. Crie sua conta na maior corretora de criptomoedas do mundo e ganhe até 100 USDT em cashback. Acesse Binance.com

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Gustavo Bertolucci
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.

Últimas notícias