Ele perdeu R$ 200 mil de empresa em pirâmide com bitcoin; sócios querem tirá-lo de sociedade

O empresário investiu os ativos digitais do negócio na MMM Brasil, esquema ponzi russo que chegou ao Brasil no final de 2015

Siga no
Imagem: Mhouge/Pixabay

Os sócios de uma agência de marketing digital de Iúna, município do Espírito Santo com cerca de 30 mil habitantes, querem desfazer uma sociedade de seis anos.

O motivo é o seguinte: um deles perdeu os bitcoins da empresa – avaliados em R$ 200 mil – em uma pirâmide financeira que dizia investir em criptomoedas.

Uma ação pedindo a dissolução parcial de sociedade mais indenização por danos materiais e morais foi ajuizada na Justiça do estado por dois sócios do negócio.

Entenda a história

De acordo com processo que corre na 1ª Vara de Iúna, três empresários montaram uma agência de marketing digital no final de 2014. O capital social é de R$ 45 mil.

Como a empresa era nova – e os donos não conseguiam empréstimos bancários para expandir o negócio -, eles resolveram pegar dinheiro emprestado de pessoas físicas.

Com a grana de terceiros em mãos, um dos sócios sugeriu aplicar o montante em bitcoins.

Segundo o processo, ficou acertado que o sócio com conhecimento em criptomoedas cuidaria da administração da wallet criada para movimentar os ativos digitais.

Cadê os bitcoins?

Com a valorização dos bitcoins, os empresários que entraram com ação na Justiça pediram para o terceiro sócio vender as criptomoedas.

Disseram acreditar que, dessa forma, poderiam pagar os empréstimos e ainda ficar com os lucros.

Entretanto, segundos os autos do processo, o sócio que cuidava dos bitcoins se recusou a prestar contas sobre a movimentação dos ativos digitais. Além disso, começou a agir de forma estranha.

Depois de certa pressão, ele acabou confessando que havia vendido todas as criptomoedas da sociedade para fazer aplicação pessoal na pirâmide financeira MMM Brasil.

Nos autos, os sócios disseram que a “conduta desleal e desonesta do sócio inviabilizou os esperados rendimentos com a valorização dos bitcoins”, bem como “atravancou o desenvolvimento da sua atividade empresarial”.

O que disse a Justiça?

O juiz Akel de Andrade Lima, responsável pelo caso, indefiriu – ao menos por ora – a dissolução da sociedade. Isso porque essa decisão diz respeito ao mérito da disputa judicial, que só pode ser decidido depois de ampla defesa.

Apesar disso, o magistrado falou que a atitude do empresário quebrou a confiança entre os sócios.

Andrade Lima ainda determinou que o empresário que perdeu os bitcoins forneça à empresa a senha do site institucional da agência. Não ficou claro na decisão se o empresário processado estava impedindo que seus sócios acessassem o portal da empresa.

Pirâmide MMM Brasil deu golpe de US$ 4,3 mi

A MMM Brasil é um esquema ponzi criado no início da década de 90 pelo russo Sergey Mavrodi, morto no início de 2018. O golpe gerou prejuízo de US$ 4,3 milhões para 10 mil investidores.

A pirâmide financeira, segundo denúncia feita pelo GAP (Grupo Anti-Ponzi), chegou ao Brasil no final de 2015, com promessas de rendimentos de até 50% sobre o valor aportado.

No final do ano passado, um internauta acusou um youtuber brasileiro de ter usado de sua influência para fazê-lo investir dinheiro na MMM Brasil.
Um bispo também ajudou a promover o esquema ponzi aqui no país.

Lucas Gabriel Marins
Lucas Gabriel Marins
Jornalista desde 2010. Escreve para Livecoins e UOL. Já foi repórter da Gazeta do Povo e da Agência Estadual de Notícias (AEN).

Bitcoin é uma forma extrema de anarquismo libertário, diz gestor de fundos

Existem diferentes opiniões sobre como o Bitcoin será capaz de mudar o futuro e a sociedade como um todo, no entanto, nem todas as...

Apenas 16% dos investidores em criptomoedas entendem do assunto, diz pesquisa

Para investir de forma segura em qualquer mercado ou ativo é imprescindível que você tenha conhecimento sobre o que está fazendo. No entanto, uma...
Binance PIX

Corretoras brasileiras pedem ação da CVM, MPF e BC contra Binance

A Associação Brasileira de Criptoeconomia (ABCripto), que tem corretoras como a foxbit e Mercado Bitcoin, pediu que o MPF ajuíze uma ação civil pública...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias

Apenas 16% dos investidores em criptomoedas entendem do assunto, diz pesquisa

Para investir de forma segura em qualquer mercado ou ativo é imprescindível que você tenha conhecimento sobre o que está fazendo. No entanto, uma...

Corretoras brasileiras pedem ação da CVM, MPF e BC contra Binance

A Associação Brasileira de Criptoeconomia (ABCripto), que tem corretoras como a foxbit e Mercado Bitcoin, pediu que o MPF ajuíze uma ação civil pública...

Site sobre criptomoedas supera Bloomberg, Reuters e WSJ em visitas mensais

O maior agregador de preços de criptomoedas do mundo, o CoinMarketCap, realizou um marco histórico no mês de fevereiro: superou a marca de 100...

Foice, martelo e… Bitcoin? Filósofo diz que criptomoeda é um renascimento do comunismo

O filósofo francês Mark Alizart lançou um livro onde afirma que o advento das criptomoedas e o protocolo Bitcoin são uma possível alavanca para se pensar em...

George Ball diz que Bitcoin é uma boa proteção contra inflação

O famoso investidor George Ball, CEO da Sanders Morris Harris, dise que o Bitcoin é uma boa proteção contra a inflação. Dessa forma, ele...