Empresa brasileira quer negociar cotas de atletas usando tecnologia do bitcoin

Precatórios tokenizados já são realidade

Siga no
O que é Bitcoin?
Imagem: pixabay.com

Imagine poder comprar e vender cotas de jogadores de futebol e atletas de outros esportes por meio de Bitcoin. Negociações desse tipo podem se tornar realidade no futuro próximo. Pelo menos é o que estuda fazer a corretora brasileira de criptomoedas Mercado Bitcoin que projeta novas formas de investimento para seus clientes.

A ideia da empresa, de acordo com o jornal Valor Investe, é vender pedacinhos dos direitos de jovens atletas para expandir seus segmento de tokenização, isto é, a venda de frações digitais de ativos reais, já a partir desse ano.

Contudo, a empresa informou ao Livecoins por meio da assessoria que “se trata ainda de um projeto” e que não tem “nenhuma previsão de data ou mais detalhes”. A empresa também não confirmou quais atletas e de quais esportes pretende negociar.

O que é tokenização de ativos

Tokenizar significa transformar um ativo real em tokens ou frações digitais, permitindo que estes tokens sejam negociados (comprados/vendidos) e, dessa forma, ampliando a liquidez e o tamanho do mercado potencial para estes ativos. A melhor maneira para compreender essa lógica é utilizando um exemplo.

Considere como ativo um imóvel que tem valor de mercado de R$ 1 milhão. Tokenizar este imóvel significa criar 20 tokens, cada um equivalente a 5% do valor do imóvel. Dessa maneira, você poderia ser dono de uma parte do imóvel, ou por exemplo receber parte dos rendimentos de um aluguel, se for o caso.

Precatórios tokenizados já são realidade

Esse tipo de investimento já é realidade no caso dos precatórios. O Mercado Bitcoin inaugurou no começo de dezembro de 2019 o MB Digital Assets, plataforma de negociação em mercado secundário dos tokens precatórios que vinha emitindo desde agosto.

Agora pequenos investidores podem comprar e negociar frações digitais de dívidas judiciais de órgãos públicos.

Antigamente, esse tipo de negociação era restrita apenas a grandes investidores, sobretudo pelos pisos altos para os aportes iniciais. Por meio da blockchain, esses ativos podem agora ser fracionados e vendidos a preços muito mais baixos.

O MB Digital Assets já realizou quatro emissões de tokens precatórios, que somam R$ 25 milhões. De acordo com o Valor Investe, na primeira emissão foram 12 mil cotas de R$ 100, cada uma valendo R$ 133,33, isto é, 0,0083% do precatório.

Além de aguardar o vencimento do título, que dá direito ao rendimento, os detentores dos tokens podem também negociá-los antes do vencimento no mercado secundário.

Andrea Torrente
Andrea Torrente
Jornalista italiano, no Brasil desde 2009. Já escreveu para Gazeta do Povo, Valor Econômico e outros veículos italianos e brasileiros.
Etiopia-bitcoin

Etiópia descobre bitcoin e volume dispara

O bitcoin chegou à Etiópia, um país africano muito pobre e dividido que se orgulha de nunca ter sido colonizada. A Etiópia é o...
Niall Ferguson

“Bitcoin está vencendo a revolução monetária”, diz premiado historiador da Bloomberg

Niall Ferguson é um premiado jornalista, historiador financeiro, comentarista político e uma figura muito respeitada dentro do mercado financeiro, sendo até um conselheiro de...
Bitcoin-carta-amigos-e-familiares

Desenvolvedor do bitcoin escreve carta para amigos e família: “comprem bitcoin”

O bitcoin continua se mostrando um investimento por diferentes motivos, tanto para quem realiza trades quanto para quem vê a moeda como uma reserva...

Últimas notícias

“Bitcoin está vencendo a revolução monetária”, diz premiado historiador da Bloomberg

Niall Ferguson é um premiado jornalista, historiador financeiro, comentarista político e uma figura muito respeitada dentro do mercado financeiro, sendo até um conselheiro de...

Desenvolvedor do bitcoin escreve carta para amigos e família: “comprem bitcoin”

O bitcoin continua se mostrando um investimento por diferentes motivos, tanto para quem realiza trades quanto para quem vê a moeda como uma reserva...

Comunistas adotam o bitcoin

Use blockchain para “aproveitar os meios de produção monetária”. É assim que começa o livro escrito pelo filósofo Mark Alizart, Criptocomunismo. Ele argumenta que a...