Empresas de Whisky formam parceria com o uso de Blockchain

Se beber não dirija!

Siga no

Para quem curte um cowboy, ou outros derivados dessa modalidade de bebida essa pode ser uma boa notícia, pois está para ser possível tomar um Whisky com a ajuda da blockchain nos seus bastidores.

A parceria surgiu das empresas Fusion Whisky com a Adelphi Distillery, da qual irão lançar o produto The Winter Queen, misturando assim a história européia da indústria de bebidas com a tecnologia blockchain.

Com esse anúncio, que envolve de Whisky Escôces com o Malte da Holanda, a marca The Winter Queen se tornará a segunda na história a trabalhar com a blockchain, uma vez que em março de 2018 a bebida australiana The Brisbane, também da marca Fusion Whisky, já havia chegado ao mercado.

De acordo com o diretor administrativo da Adelphi Distillery, Alex Bruce, a blockchain provê aos consumidores detalhes sobre a proveniência da cevada utilizada no processo de fabricação, de qual campo a mesma veio, e quando o mesmo foi engarrafado.

Além disso, Bruce acrescentou que “Muitas pessoas não ouviram falar ou apreciaram a influência que Elizabeth Stuart teve na Europa do século XVII. Ela era a filha mais velha de James VI da Escócia e eu da Inglaterra, mas também era a avó do rei George I e era o elo entre os tronos Stuart e Hanovarian”.

Esta edição comemora a coroação da princesa ao reino da Boêmia, há cerca de 400 anos atrás. Uma curiosidade, que não faz com que seja um ponto negativo, é que os reinos são estruturas centralizadas de poder ao contrário do que prega a blockchain, que leva em sua filosofia o caráter de descentralização.

A indústria de bebidas alcoólicas é mais um dos setores a prestar atenção a esta nova tecnologia e o seu imenso potencial, e um caso de uso além do citado anteriormente é o da criptomoeda VeChain (VET), que também possui em seu projeto facilidades a vinhos e licores.

No Brasil, o potencial da blockchain é imenso, uma vez que não há muitos casos de registros e facilidades com a tecnologia, abrindo brechas para que surjam cada vez mais empresas e iniciativas neste processo.

Para se ter uma base do setor de bebidas alcoólicas, um estudo de 2017 levantou que o setor teve no Brasil anos ruins entre 2015 e 2017 podendo melhorar ainda em 2018, com a melhora do quadro econômico no país, visto que isso influencia os consumidores deste setor.

Durante a Copa do Mundo 2018, um estudo da Globo levantou que o Whisky é a sétima bebida que o brasileiro mais consome, isso daria menos de 1% do mercado de bebidas alcoólicas no país.

A blockchain como uso em Cadeia de Suprimentos é muito importante visto o desencontro de informações aos consumidores de informações reais no mercado de Whisky, uma iniciativa chamada CaskCoin procura ajudar neste setor, mas com certeza virão outras mais que ajudarão a emponderar os clientes finais.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Leia mais sobre:
Gustavo Bertoluccihttps://github.com/gusbertol
Graduado em Análise de Dados e BI, interessado em novas tecnologias, fintechs e criptomoedas. Autor no portal de notícias Livecoins desde 2018.
Deputado Estadual Gustavo Gouveia, em Pernambuco regular criptomoedas

Mais um estado brasileiro quer regular as criptomoedas com Projeto de Lei

Após um PL ser apresentado na Paraíba, mais um estado brasileiro quer regular as empresas de criptomoedas para prestar informações. Nos últimos dias, a Assembleia...
Jack Dorsey, CEO do Twitter e fã do Bitcoin

Empresa de CEO do Twitter quer minerar Bitcoin

A Square, empresa de Jack Dorsey listada na NYSE, quer minerar Bitcoin como estratégia de negócio. A informação foi compartilhada por Dorsey em seu Twitter,...
Pedro-Bial-Hashdex

Pedro Bial testemunha o poder transformador das criptomoedas em campanha da Hashdex

A Hashdex surgiu para democratizar os investimentos em criptomoedas, oferecendo produtos seguros e regulados para todos os investidores. Atuando como ponte entre o mercado...
.

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias