ETF 100% Bitcoin será listado na bolsa brasileira

Os ETFs são fundos de investimento que podem ser negociados como uma ação no pregão da bolsa de valores, além disso o investidor não precisa de preocupar com IOF e come cotas.

Siga no

A gestora de ativos QR Asset Management, que é ligada ao grupo QR Capital, anunciou o lançamento do QBTC11, o primeiro ETF da América Latina 100% em Bitcoin que será lançado na bolsa de valores brasileira (B3) no dia 23 de Junho.

O Brasil já possui um ETF de criptomoedas, o HASH11, da gestora Hashdex em parceria com a Nasdaq, entretanto esse ETF é composto por Bitcoin, Ethereum, Stellar, Bitcoin cash e Litecoin.

O ETF da QR Asset foi aprovado pela CVM e será lançado em parceria com o BTG Pactual com uma taxa de administração de 0,75% ao ano.

O ETF replicará o índice CME CF Bitcoin Reference Rate, referência dos contratos futuros de Bitcoin negociados pela bolsa americana Chicago Mercantile Exchange Group – a maior bolsa de derivativos do mundo.

O valor estimado da primeira emissão é de R$ 500.000.000,00, e com apenas 100 reais o investidor poderá comprar uma cota do fundo.

Em nota, a QR Asset disse que o ETF vem para permitir que investidores se protejam do risco cambial se expondo a um ativo dolarizado e altamente liquido: O Bitcoin, cujo volume de movimentações diárias é quatro vezes maior do que o da própria B3.

O fundo estará disponível para qualquer investidor, será apenas necessário ter uma conta em uma corretora.

Por que um ETF de Bitcoin?

O Bitcoin vem sendo cada vez mais popularizado e entendido, para muitos, como um ativo de segurança.

Obviamente, ao analisar os fundamentos do Bitcoin, a melhor forma de utilizar esse ativo seria criando sua própria wallet, que é uma carteira digital para bitcoins, e fazendo a custódia completa de suas moedas.

Entretanto, o entendimento completo sobre os fundamentos do Bitcoin, bem como sua gestão completamente descentralizada, ainda é uma dificuldade para muitos que gostariam de se expor a esse novo mercado.

É a partir daí que surgem os ETFs de Bitcoin e outras criptomoedas. É mais uma maneira de expandir o criptomercado e permitir que mais pessoas tenham acesso a esse ativo de uma forma facilitada.

Além disso, o Bitcoin enfrenta forte regulação do mercado financeiro tradicional e para grandes investidores ou institucionais essa é a maneira mais viável e segura de se expor a moeda digital.

Os ETFs são fundos de investimento que podem ser negociados como uma ação no pregão da bolsa de valores, além disso o investidor não precisa de preocupar com IOF e come cotas.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Eduarda Lobato
Eduarda Lobatohttp://eduarda.substack.com
Libertária e entusiasta de Bitcoin, Blockchain e outras tecnologias relacionadas ao mundo cripto.
Deputado Alexandre Frota

Alexandre Frota quer Bitcoin regulamentado em seis meses

Um projeto de lei para agilizar a regulamentação do Bitcoin foi protocolado no Congresso Nacional pelo deputado Alexandre Frota (PSDB-SP). Em seu pedido, o...
Lupa em El Salvador

“El Salvador é um caso forte para adoção em massa do Bitcoin” diz Forbes

Com a adoção do Bitcoin como moeda de curso legal por El Salvador, as discussões sobre a moeda digital estão sendo ampliadas e, em...
Dogecoin. Imagem:ShutterStock

CVM da Tailândia bane Dogecoin e NFTs

Aparentemente a Comissão de Valores Mobiliários da Tailândia não é grande fã de artes digitais. O órgão regulador baniu os NFTs e todas as...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias