EUA realizaram testes secretos de eleições com blockchain

Talvez buscando novas soluções para os problemas enfrentados nas eleições presidenciais de 2016, onde há uma série de acusações relacionadas a influência da Rússia nos resultados, os EUA iniciou testes secretos do uso da tecnologia blockchain, a mesma utilizada pelo Bitcoin e outras criptomoedas, para usá-la em suas eleições.

Siga no

O The Washington Post revelou nesta segunda-feira (13) que o serviço de correios dos EUA, o USPS, realizou testes relacionados ao uso da tecnologia blockchain nas eleições americanas. Todavia, o plano foi abandonado em 2019 devido a vulnerabilidades.

Enquanto as eleições no Brasil são realizadas através de urnas eletrônicas, os EUA ainda usam voto em papel que são transportados pelo USPS, Serviço Postal dos Estados Unidos. Por conta disso é que este órgão estava trabalhando no projeto.

Embora o uso da blockchain seja interessante para alguns setores, como registro de propriedades com tokens não fungíveis (NFTs), e também para criptomoedas, como o Bitcoin, graças a sua maior privacidade, seu uso pode não ser bom em certos campos, como das eleições.

Não deu certo

Talvez buscando novas soluções para os problemas enfrentados nas eleições presidenciais de 2016, onde há uma série de acusações relacionadas a influência da Rússia nos resultados, os EUA iniciou testes secretos do uso da tecnologia blockchain, a mesma utilizada pelo Bitcoin e outras criptomoedas, para usá-la em suas eleições.

O USPS inclusive possui uma patente sobre o sistema, publicada em 2020, no qual cita o uso de criptografia e faz referência ao seu uso pelas criptomoedas. Apesar disso, o projeto foi descontinuado em 2019 após pesquisadores de segurança cibernética da Universidade do Colorado descobrirem vulnerabilidades neste sistema.

Dentre os maiores problemas estão a falta de acessibilidade a todos, já que requer um celular, além da possibilidade dos votos serem feitos por terceiros (ou sofrerem influência destes), além de possuir menos privacidade, que é essencial em uma democracia. Por fim, é destacado que os celulares podem ser infectados com malwares, o que seria um problema ainda maior.

Mais riscos

Embora a era digital traga mais conforto, ela também pode ser sinônimo de ameaças, podendo ter impacto decisivo nos resultados de eleições. Além dos riscos acima, também há outras questões relacionadas a conectividade da internet em certas áreas.

Outro ponto é que, teoricamente, os cidadãos poderiam conferir se o seu voto foi computado de maneira certa. Embora pareça um benefício, isto pode facilmente ser utilizado para compra de votos ou, pior ainda, sofrer influência por ameaças.

Por fim, embora a blockchain seja muito interessante para a liberdade relacionada ao dinheiro, por conta de seu anonimato e outras características, ela pode não se encaixar bem em todos os campos, como das eleições. A duvida que fica é o motivo destes testes americanos não terem sido revelados anteriormente.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Henrique Kalashnikov
Há mais de 5 anos trabalhando com criptomoedas, hoje escrevo artigos e notícias para o Livecoins.
Robert Kiyosaki

Robert Kiyosaki diz que crash do Bitcoin é uma “excelente notícia” – “Hora de...

Não é segredo para ninguém que o mercado de criptomoedas está em um período bem complicado, com uma correção que começou na virada do...
XP Investimentos e gráficos ao fundo

XP Investimentos lança fundo focado em metaverso

A XP Investimentos e a corretora Rico anunciaram nesta segunda-feira (24) um fundo focado no metaverso, que estará disponível para seus clientes. A XP...

Nova ameaça ao Ethereum? Fantom ultrapassa Solana, BSC e Avalanche

Com o setor DeFi ainda sendo um ponto importante para o mercado de criptomoedas e diferentes ecossistemas, uma rede está se destacando em relação...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias