Criminosos exigem Bitcoin para não derrubar sites de empresas com ataque DDoS

Os criminosos exigiam 10 bitcoins para que não atacassem suas vítimas, mas o preço da moeda digital subiu tão rápido que eles tiveram que reduzir os valores das extorsões.

Siga no

Existem pessoas maldosas em todos os lugares e infelizmente a internet está infestada de gente em busca de oportunidade para aplicar golpes e praticar crimes. De acordo com a empresa de segurança Radware, grupos especializados em extorsão estão enviando e-mails com ameaças de ataques DDoS para empresas, o grupo de criminosos pede que suas vítimas enviem Bitcoin para que não prossigam com o ataque.

Em um ataque DDoS (Distributed Denial of Service) que traduzido significa “Negação de Distribuição de Serviço”, os criminosos sobrecarregam um servidor com o intuito de deixá-lo inacessível para qualquer usuário pela internet. Nesse caso o principal alvo desses criminosos são empresas e suas respectivas páginas.

A intenção é gerar uma sobrecarga de acessos, impedindo que clientes ou pessoas possam acessar o site.

A Radware publicou um alerta de segurança afirmando que durante a última semana do ano passado e a primeira semana deste ano seus clientes têm recebido diversos e-mails com ameaças de extorsão.

Nos e-mails os criminosos ameaçam as vítimas com ataques DDoS. As empresas que receberam as ameaças precisam enviar entre 5 e 10 bitcoins para que se livrem do ataque.

Segundo a empresa de segurança na internet, o aumento no preço do Bitcoin pode ser um dos fatores que estão servindo como incentivo para que esses grupos de criminosos pratiquem esses crimes de extorsão.

“Pague Bitcoin ou seu site será derrubado”

Uma empresa que depende de um site para realizar vendas pode se ver em apuros caso sofra um ataque DDoS. Com o site fora do ar, nenhum cliente legítimo poderá acessar a página, e logo, não haverá vendas.

A empresa atacada perde de qualquer forma, já que, até a proteção do site tem custos elevados, bem como mitigar o ataque pode custar caro.

A Radware explicou que a alta do Bitcoin pegou esse grupos de criminosos de surpresa. Segundo a empresa de segurança, os criminosos exigiam 10 bitcoins para que não atacassem suas vítimas, mas o preço da moeda digital subiu tão rápido que eles tiveram que reduzir os valores das extorsões.

O preço do Bitcoin triplicou desde agosto de 2020.

De acordo com a Radware, as empresas que são ameaçadas e não pagam o valor cobrado têm suas páginas na internet atacadas durante cerca de nove horas com uma carga de 200 Gbps sendo enviados para os seus servidores, o que acaba derrubando os sites das empresas que não estão protegidas, impedindo que clientes possam comprar algum produto.

A Radware recomenda que as empresas não paguem nenhum tipo de resgate para os criminosos, isso apenas os fará voltar mais e mais vezes. Nesses casos as empresas são aconselhadas a buscar serviços de empresas que ofereçam soluções de segurança.

Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.
Diego Marques
Diego Marques
Começou em 2016 como um dos primeiros redatores do Guia do Bitcoin. Diego tem preferência por notícias que podem influenciar o preço das criptomoedas, mas também gosta de escrever curiosidades do cripto-universo.
Departamento de Tesouro dos Estados Unidos

Departamento do Tesouro dos EUA quer ferramenta para rastrear Bitcoin

A agência dos Estados Unidos responsável pela implementação de sanções contra empresas, parte do Departamento do Tesouro, quer uma ferramenta capaz de rastrear o...
Polícia investiga negócio de criptomoedas no ES

Corretora cripto é alvo de operação policial por fraude bilionária

A polícia da Coreia do Sul realizou uma operação em diversos escritórios de uma corretora de criptomoedas após a empresa ter sido acusada de ser...
Criptomoeda Ethereum mãe do DeFi

Banco Central dos EUA elogia Ethereum e inovação com DeFi

O Banco Central dos Estados Unidos de St. Louis publicou um artigo elogiando as inovações da plataforma Ethereum. Ao criar aplicações bancárias com tokens,...

Cotação do Bitcoin por TradingView

Últimas notícias