França convoca G7 contra a criptomoeda do Facebook em operação de força-tarefa

País quer que criptomoeda seja passível de regulação que deverá ser proposta em breve.

-

Siga no
Anúncio

A recente criptomoeda anunciada pelo Facebook fez a França convocar uma força-tarefa. A decisão do país envolve o G7, o grupo de países mais influentes economicamente no mundo. Com o anúncio francês, a criptomoeda Libra será supervisionada pela organização.

O Facebook anunciou a Libra na última terça-feira (18). Embora a criptomoeda não tenha sido oficialmente lançada, somente a apresentação do projeto foi suficiente para o mercado voltar as atenções para a Libra. Com até white papper lançado, a criptomoeda do Facebook não surtiu um efeito positivo em todas as economias.

A França foi o primeiro país a questionar o lançamento da Libra. O país propõe que a criptomoeda seja acompanhada de perto por grandes potências, como os países que fazem parte do G7.

País pode atrasar lançamento da Libra

Anúncio

Os planos do Facebook incluem o lançamento da Libra em 2020. A previsão é de que a stablecoin esteja disponível no mercado já no primeiro trimestre do próximo ano. Porém, até que este lançamento aconteça, o Facebook poderá enfrentar problemas.

A utilização da Libra ainda pode ser passível de regulações e até proibições. Isso poderia ser um entrave no projeto da rede social de Mark Zuckerberg. A França, por exemplo, espera que medidas sejam apresentadas em busca de regular o projeto. Em um esforço que envolve outros países, a França decidiu criar uma força-tarefa. A ação é voltada especificamente para a regulação de criptomoedas como a do Facebook.

Força-tarefa será comandada pela França

A Libra deverá conquistar governos que parecem ser contrários ao projeto. Essa conquista permitirá que a tão sonhada adoção em massa da stablecoin do Facebook aconteça futuramente no mercado. Mas antes de isso acontecer, uma força-tarefa quer criar caminhos para a regulação da Libra.

Em um esforço que reúne outras economias, a França espera que uma regulação para as criptomoedas seja apresentada. Para isso, o país propôs a criação de uma força-tarefa que pode criar uma regulação para o setor. Essa força-tarefa está sendo supervisionada por Benoit Coeure. O executivo, que fará parte das atividades propostas pelo governo francês, é atualmente membro do conselho do banco central europeu.

Em um comentário sobre a Libra e os desafios do mercado de criptomoedas, François Villeroy de Galhau revelou sua preocupação. O presidente do banco central francês acredita que a inovação deve garantir a segurança necessária, no que fazia clara referência as criptomoedas. Para Galhau, uma regulação do setor deve ser priorizada.

A França não foi o único país a esboçar certa preocupação após o anúncio da Libra. O Facebook possivelmente deverá enfrentar problemas com outros países, como os Estados Unidos. O país também espera que a criptomoeda da rede social seja esclarecida. Uma audiência deverá acontecer em até um mês, após o assunto ser proposto pelo Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos.

Siga o Livecoins no Google News para receber nossas notícias em tempo real.
Curta nossa página no Facebook e também no Twitter.
Receba também no email se cadastrando em nossa Newsletter.
Paulo Carvalho
Paulo Carvalho
Jornalista em trânsito, escritor por acidente e apaixonado por criptomoedas. Entusiasta do mercado, ouviu falar em Bitcoin em 2013, mas era que nem caviar, "nunca vi, nem comi, só ouço falar".

Leia mais

Últimas notícias

CoinMarketCap dando criptomoeda concorrente da IOTA

O campo das criptomoedas segue em alta em 2020 e muitos projetos promissores têm surgido. Para divulgar uma nova promessa, o CoinMarketCap está dando...

EUA multa serviço de Mixer de Bitcoin em U$ 60 milhões

Em uma decisão única e que pode abrir uma série de precedentes para o futuro, a FinCEN, órgão dos EUA responsável por combater crimes...

Brasileiro é acusado de fraudar programa de recompensas de criptomoeda

Um brasileiro foi acusado de ter fraudado um programa de recompensas da criptomoeda Monero, na acusação, Everton Melo teria copiado a análise de outro...